A importância de um planejamento alimentar para ovinos e caprinos

As pastagens são à base da produção de ruminantes, entretanto, sofrem uma variação muito grande ao longo do ano, em função das condições climáticas. Dentro deste contexto, mudanças nas áreas de pastagens se fazem necessárias, assim como, o número de animais também pode variar, levando-se em consideração as mudanças que acontecem nas áreas de pastagens. Dentro deste contexto, caprinos e ovinos devem ter na base da sua alimentação alimentos volumosos de boa qualidade, porém, sem esquecer que essa deve ser uma produção de baixo custo. Portanto, para que estes animais possam expressar todo o seu potencial, o planejamento adequado da produção de forragens, para se alimentar os animais, é de fundamental importância.

O objetivo de se elaborar um bom planejamento alimentar reside no fato de que esta ação é essencial para garantir o equilíbrio entre produção e demanda de forragem, assegurando, assim, alta eficiência na utilização das pastagens e a manutenção das condições favoráveis a sua produtividade e ao desempenho animal.

Sendo assim um planejamento estratégico estabelece metas para a produtividade, estima fluxos financeiros e índices financeiros econômicos, além de proceder a avaliações de impacto social e ambiental.

Cabe, ainda, destacar que um bom planejamento deve ser levado em consideração, também, quando o sistema de produção adotado é o intensivo confinado.

Para o sucesso desse planejamento, deve-se  atentar para o tamanho do rebanho, assim como se deve obter informações sobre as necessidades nutricionais dos animais. Neste sentido, planejar a alimentação  do rebanho, nada mais é do que adequar, ao longo do ano, suas necessidades alimentares com a produção forrageira das pastagens da propriedade, e também de um esquema de suplementação alimentar.

Para isto, recorre-se a alguns conhecimentos na gestão da qualidade total, dentre os quais se destaca o ciclo PDCA (do Inglês Plan, Do, Check, Action), que, traduzido, significa planejar, desenvolver, checar e atuar. Vê-se, então, que é necessário um conhecimento prévio da situação a ser trabalhada.

O planejamento deve vir antes da implantação do projeto, baseado no fato de que os resultados satisfatórios de um sistema de produção animal só acontecem se além de outras variáveis, a alimentação estiver sendo fornecida adequadamente. Alguns aspectos devem ser considerados, como por exemplo, hábitos alimentares, exigências dos animais, valor nutritivo da ração oferecida, produtividade das forrageiras, ao longo do ano, particularidade do uso de determinados alimentos e a viabilidade econômica da ração. A qualidade dos alimentos deve ser levada em consideração.

Outro ponto importante é a elaboração de uma escrituração zootécnica adequada, haja vista que pela análise dos dados obtidos com a implantação dessa atividade, podem-se obter informações relevantes para o sistema produtivo e assim, alcançar sucesso desejado, com a atividade da caprinocultura e/ou ovinocultura.

  Autor: Emanuel Elzio Leal de Barros Fonte: Portal Dia de Campo  

Conheça o Curso de Manejo Nutricional de Ovinos de Corte (Alimentos e Alimentação)

  Veja outras publicações da Revista Agropecuária: Consorciação de Ovinos e frutas Integração lavoura pecuária floresta e sistema de plantio direto - tema de diversificação no meio rural Programa ABC - Agricultura de Baixo Carbono - ILPF  

Artigos

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.