Como agir na fruticultura, em caso de chuvas de granizo

Na última semana, muitas cidades da Serra Gaúcha sofreram grandes prejuízos com a alta concentração de chuvas, algumas até com granizo, tanto na cidade como no campo. O chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho, pesquisador Lucas Garrido, ao comentar sobre as perdas sofridas pelos agricultores, apresenta recomendações de práticas a serem adotadas pelos mesmos, visando à reparação do que ainda é possível fazer com as plantações:

"Infelizmente, neste ano que prometia uma das melhores safras da história, as chuvas de granizo acabaram com o sonho e esperanças de muitos produtores de  uvas, frutas e hortaliças, na região da Serra do Rio Grande do Sul. Os danos sofridos nos vinhedos e pomares variaram  entre os produtores, muitos dos quais com perdas de até 100%.

A pergunta na cabeça do produtor é: o que fazer agora, nos vinhedos e pomares?

A resposta a esta pergunta vai depender do grau de dano que o vinhedo sofreu.

No caso de danos altos, com perdas próximas a 100%, os produtores deverão efetuar uma poda de formação, igual à efetuada no inverno  passado. A seguir, efetuar aplicação com fungicidas de contato, para a proteção dos ferimentos e cicatrização daqueles, decorrentes do granizo. Uma nova adubação é necessária, para que a planta tenha nutrientes suficientes para a brotação e acumulação de novas reservas, pensando-se na próxima safra.

Já para os vinhedos/pomares que apresentaram um grau menor de dano, a recomendação é a aplicação de fungicidas de contato, para proteção dos ferimentos ocasionados pelo granizo. As frutas danificadas (pêssego e caqui, entre outras) devem receber também uma ou duas pulverizações com fungicidas de contato, para evitar que fungos ocasionem o apodrecimento das mesmas, a partir dos ferimentos.

É importante a manutenção de pulverizações com fungicidas nos vinhedos e pomares, para que as plantas possam manter as folhas e novas brotações com boa sanidade. Sem a produção de novas brotações e folhas, a videira estará mais sujeita a não entrar adequadamente em dormência, no próximo inverno, o que poderá aumentar os problemas de mortes de plantas pelo                    escurecimento da casca.

Em caso de dúvida, os produtores deverão consultar os técnicos da extensão rural, vinícolas ou cooperativas".

 

Fonte: Embrapa Uva e vinho

Adaptação: Revista Agropecuária  

Conheça o Curso de Recuperação de Áreas Degradadas - Manejo, Conservação e Fertilidade do Solo

 

Veja outras  publicações na Revista Agropecuária:

Comérico de Flores da bons resultados neste fim de ano Senador Sergipano investe em fertilizantes potássicos Concurso "Qualidade de cafés" premia o café do Sul de Minas

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

Digite seu e-mail: 

Agricultura

Artigos

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.