Algumas dicas de como manejar búfalos

Os búfalos são animais domésticos que, por possuírem temperamento bastante dócil, facilitam a criação e o manejo. Utilizados para a produção de carne e leite destinados ao consumo humano, além de serem, algumas vezes, aproveitados como força de trabalho no campo, os bubalinos, muitas vezes, apresentam-se como uma opção para o aproveitamento de áreas da propriedade às quais os bovinos não se adaptam.

A rusticidade desse animal permite sua fácil adaptação às mais variadas condições ambientais, por isso pode ser criado nas mais diversas condições climáticas. No entanto, os búfalos possuem um menor número de glândulas que produzem o suor em relação aos bovinos e sua pele escura apresenta uma grossa camada, que lhes impede de regular com eficiência a temperatura corpórea, por isso é preferível que sejam criados em regiões alagadas ou áreas pantanosas, onde eles possam procurar a água para se refrescar e para se proteger do ataque de insetos e parasitas.

Embora os bubalinos sejam vistos como mais resistentes a determinadas enfermidades que os bovinos, as criações extensivas de búfalos podem apresentar alta mortalidade de bezerros devido à infecção por Toxocara Vituloru, se não forem tomados todos os cuidados necessários. Outros parasitas gastrointestinais também podem causar grandes prejuízos à criação. Por isso, no manejo do búfalo, é recomendável mantê-lo no pasto, evitando expô-lo à situação de superlotações em ambientes fechados. Além disso, o manejo constante dos animais, como a mineralização, é a peça chave para sucesso da criação dos bubalinos.

Para cuidar do piolho (H. Tubercullatus) desses animais, em caso de insuficiência de água nos pastos para que eles possam deitar na lama, pulverize-os regularmente. Pois com o barro da lama seco ao sol no corpo, o búfalo se coça, derrubando junto com o barro esse inimigo natural, num exemplo de combate biológico. Essa ação impede que animais com infestações além do normal, tornem-se agitados e difíceis de serem contidos.

Além disso, é necessário manter a cerca do pasto, de preferência uma elétrica ou uma convencional de boa qualidade, sempre que possível, limpa, para que o animal visualize-a e aprenda a respeitá-la. Os fios posteriores da cerca devem ser mais baixos (máximo de 20 cm do solo) que os anteriores, pois o búfalo pode tentar romper a cerca pelos fios inferiores. Somente em caso de necessidade, é prudente prender os animais à noite. Quanto às fêmeas, por causa de sua tendência a estimular o agrupamento do rebanho é prudente que os lotes femininos sejam separados em pastos distantes, a fim de evitar que durante a noite elas rompam as cercas.

 

 

 

Fonte: Rural News

Adaptação: Revista Agropecuária

     

Conheça o Curso de Manejo Nutricional de Gado de Corte (Alimentos e Alimentação)

        Veja outras  publicações na Revista Agropecuária: Criar ovelhas é vantajoso? Leite longa vida mais barato para o mercado Chuva beneficia pastagens para o gado no Rio Grande do Sul      

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

 

Digite seu e-mail:

Bovinos

Notícias

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.