Impacto da pecuária para o aquecimento global será medido com base na análise dejetos de gados

O impacto da pecuária para o aquecimento global será medido por um grupo de pesquisadores do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da Universidade de São Paulo (USP), em Piracicaba (SP). Os pesquisadores analisarão até 2014 a influência dos gases emitidos na pecuária e que contribuem para o efeito estufa.

A análise será feita em uma fazenda em Ariquemes, em Rondônia, que será usada como centro de coleta e pesquisa. Além de medir os níveis de emissão, os pesquisadores estão elaborando um paralelo entre a produção de dejetos (urina e fezes) de gados de pasto e confinado.

A pesquisa pretende indicar a influência das criações de gado na emissão dos três principais gases que provocam o efeito estufa, o dióxido de carbono, o gás metano e o óxido nitroso, para isso quantificará essa emissão e, depois, mostrará as projeções de redução.

De acordo com o professor Carlos Cerri, coordenador do estudo, os gases são extraídos da urina e das fezes dos animais, que são depositados no solo por meio de câmaras estáticas instaladas no pasto. Após acondicionamento em frascos de vidros com vácuo, todo esse material é enviado para o laboratório do Cena, em Piracicaba. Nesse laboratório, o material é analisado por cromatografia gasosa, que faz a separação dos componentes e identificação de cada um dos gases.

Quanto ao paralelo entre a produção de dejetos (urina e fezes) de gados de pasto e confinado, o doutorando em química, Ciniro Costa Júnior, após analisar a produção de gado de confinamento, constata que apesar de economizar em adubo químico, a modalidade produz maior quantidade de dejetos.

Segundo ele, o armazenamento das fezes e urinas dos animais, em geral, dura 90 dias e com as alternativas que os pesquisadores possuem pode haver a redução da emissão de poluentes em até 40%. Ele esclarece ainda que após a medição da produção desses gases, a equipe fará a projetação das possíveis reduções.

O biólogo André Mazzetto, que está com a agrônoma Arlete Simões Barneze, em Rondônia, fazendo a coleta de dejetos bovinos a serem enviados para a USP, em Piracicaba, sustenta com essa pesquisa, a ciência busca esclarecimento sobre as possíveis influências que a atividade pecuária pode causar quanto a emitir gases de efeito estufa para a atmosfera. Segundo ele, a pesquisa poderá mostrar se a pecuária afeta ou não o aquecimento global, para isso a equipe pretende determinar os fatores da emissão gasosa pela atividade pecuária.

A pesquisa da USP, que não é pioneira, sobre a emissão de gases na atmosfera, ainda está com os trabalhos em andamento e sua conclusão acontecerá em universidades holandesas e americanas.

  Fonte: G1 Adaptação: Revista Agropecuária        

Conheça o Curso de Cirurgias em Bovinos a Campo!

         

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

Digite seu e-mail: 

Áreas

Bovinos

Notícias

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.