Saiba como se preparar para a estação de monta de gado de corte

Saiba como se preparar para a estação de monta de gado de corteO objetivo em trabalhar com a estação de monta de gado de corte é melhorar os índices reprodutivos. Essa é uma prática da criação de bovinos em que as fêmeas em reprodução são expostas ao touro ou à inseminação artificial (IA) durante um determinado período do ano. 

Porém, para se conseguir um bom desempenho ao se programar e manter a estação de monta, o pecuarista deve cuidar dos principais eventos que envolvem o período. Continue a leitura do texto e veja abaixo qual a melhor época e como se preparar para aumentar a eficiência reprodutiva do seu rebanho. 

Se planeje para a estação de monta de gado de corte

O ponto chave para uma boa estação de monta é a sincronicidade. O planejamento da estação precisa sincronizar o período de lactação, momento de maior requerimento nutricional das vacas, com a época do ano de maior disponibilidade de forragens, ou seja, a época das chuvas. 

É fundamental que as atividades do período de monta se concentrem o máximo possível na propriedade, já que o primeiro impacto da técnica é proporcionar ao criador a real situação reprodutiva. Este conhecimento é essencial para a substituição e descarte de matrizes que, nas mesmas condições das demais, não foram empenhadas durante a estação de reprodução.

Pontos importantes para a eficácia da estação de monta 

O desempenho de uma estação de monta de gado de corte está diretamente ligado ao aspecto nutricional da vaca. Durante a fase de lactação, estes animais ingerem 70% dos nutrientes consumidos ao longo do ano. 

Por isso, o cuidado com a nutrição tem um importante papel no processo da vaca de desmamar um bezerro e ficar gestante novamente dentro dos limites estabelecidos (estação) para parir em períodos adequados no próximo ano. As vacas com parição em boa condição corporal, manifestam o cio mais rápido após o parto.

Além da nutrição, o pecuarista deve garantir uma boa fertilidade. Isso vale também para touros e sêmens utilizados. Não fazer previamente um exame andrológico e uma análise do sêmen, para saber se estão em boas condições, pode prejudicar toda a estação. Lembrando, ainda, que deve-se cobrir o maior número de vacas no início da estação de monta. Quanto mais tarde uma vaca fica gestante, mais ao final da estação de parição ela vai parir e menos tempo terá para ficar gestante, tendo maior risco de ser eliminada. A duração da estação deve ser suficiente para que pelo menos 90% das vacas sejam servidas por um touro ou sêmen. 

Vantagens de estar preparado para o período de monta de gado de corte

Já vimos que um bom preparo e planejamento para a estação de monta permite maior conhecimento sobre matrizes e reprodutores. A partir da implantação das rotinas de avaliação pré e pós-estação de monta, podem ser tomadas decisões mais objetivas quanto à manutenção ou descarte destes animais. 

A estação de monta de gado de corte, quando feita da maneira correta, aumenta a taxa de prenhez, favorece a criação de bezerros saudáveis e possibilita uma lactação em boas condições de pastagens. De uma forma geral, a estação de monta beneficia o manejo do rebanho como um todo: desde à atenção ao nascimento dos bezerros, passando pelas práticas de vacinações, aplicação de vermífugo, desmama, marcação, recria, castração, engorda até o planejamento da comercialização, com a formação de lotes mais homogêneos. 

Diante de tudo isso, somente com uma preparação por parte do criador é possível alcançar todos os resultados esperados. O primeiro passo é o manejo nutricional, pois se ele não for feito adequadamente, toda a técnica pode estar comprometida. Comece a oferecer qualidade nutricional aos seus animais e aumente a taxa de fertilidade do seu rebanho com os conhecimentos do Curso de Manejo Nutricional de Gado de Corte (Alimentos e Alimentação). 


Fontes: Embrapa, Beefpoint, Educapoint.

Artigos

Bovinos de Corte

Destaques

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2021 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.