Volume de mel exportado pelo Brasil cresce mais de 80% em maio

Clima favorável e redução na oferta mundial do alimento beneficiam produtores do país

Em maio, as exportações brasileiras de mel atingiram US$ 8,1 milhões e um volume de 2,58 mil toneladas, aumento de 98,26% em valor e 80,67% em peso na comparação com o mesmo período de 2010, segundo levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae)

O diretor-geral da Central das Cooperativas Apícolas do Semiárido (Casa Apis), localizada em Picos (PI), Antônio Leopoldo, afirma que em 2011 o Brasil terá uma safra recorde de 6 mil toneladas de mel. "Esse cenário positivo é a somatória do clima favorável, com boa distribuição das chuvas, e da demanda forte do mercado mundial", explica. Ele salienta que hoje há redução na produção de mel no mundo, devido ao desmatamento. Este fator, junto ao crescimento da demanda no Brasil e no exterior, segundo Leopoldo, contribui para os números alcançados.

"Na maior parte do mundo não há área nativa para produção, o que para o Brasil significa um ponto positivo. Ainda temos muitas áreas disponíveis para crescer na produção de mel", acredita. Ele lembra que a China é o maior produtor mundial do produto, mas que se trata de "artigo de baixa qualidade".

Maiores compradores e vendedores

Os Estados Unidos foi o principal destino do mel brasileiro, com um total de US$ 5,7 milhões, respondendo por 70,3% da receita das exportações, ao preço de US$ 3,12 o quilo. A Alemanha ficou como o segundo mercado, com receita de US$ 1,5 milhão, o equivalente a 18,4%, pagando US$ 3,22 o quilo. O Reino Unido absorveu US$ 387,7 mil dessas vendas, oferecendo US$ 3,20 pelo quilo. Outros países importadores de mel do Brasil foram França, Bélgica, Canadá, Espanha, Japão, China, Argentina, Hong Kong, Peru e Paraguai.

Na produção interna, São Paulo respondeu por 31,4% das vendas externas, com US$ 2,5 milhões. O Rio Grande do Sul veio em segundo lugar, com uma exportação de pouco mais de US$ 2,2 milhões, seguido por Piauí (US$ 1,3 milhão), Rio Grande do Norte (US$ 632.754), Ceará (US$ 612.704), Paraná (US$ 234.116), Minas Gerais (US$ 166 mil) e Santa Catarina (US$ 101 mil).

  Fonte: Globo Rural

Conheça o Curso de Manejo Nutricional de Ovinos de Corte

 

Veja outras publicações da Revista Agropecuária:

Abelhas - como vivem Descoberta abelha com maior língua entre os insetos

Os nove passos para se tornar um apicultor  

Apicultura

Economia Rural

Notícias

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.