O Vazio Sanitário do algodão teve início na quinta-feira (20) em Minas Gerais

Em atendimento a solicitações do setor produtivo do algodão em Minas Gerais, o Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), através da resolução 1.181/2011 e da portaria 1.136/2011 modificaram no ano passado, o prazo do Vazio Sanitário do algodão, que vigorava entre os meses de agosto a novembro e passou a ser no período de 20 de setembro a 20 de novembro. Sendo assim teve início na quinta-feira (20), o Vazio Sanitário do Algodão nas regiões mineiras do Triângulo, Alto Paranaíba, Noroeste e Norte, principais produtoras de algodão do estado.

A medida leva em conta a importância socioeconômica desta cultura para Minas Gerais e os prejuízos que a praga do Bicudo do Algodoeiro pode ocasionar à economia, já que a manutenção de áreas permanentes e contínuas com o cultivo do algodão mantém o inseto ativo. O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) vai vistoriar até o dia 20 de novembro, período de vigência do Vazio, 88 propriedades que cultivam o algodão em pluma.

A Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa), implantou em 2010 através da resolução nº 1.021, o Vazio Sanitário, que é uma das medidas fitossanitárias para a prevenção e controle do Bicudo do Algodoeiro (espécie de besouro que se alimenta da estrutura reprodutiva das plantas). Durante um período de 60 dias, fica proibida a existência de plantas vivas do algodão em áreas agricultáveis. No âmbito nacional, todos os estados que produzem algodão devem estabelecer o Vazio Sanitário, já que é uma exigência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) fiscaliza o cumprimento da norma em Minas Gerais e é de responsabilidade do produtor a eliminação das plantas durante a vigência do Vazio Sanitário. O descumprimento dessa medida gera auto de infração e multa. No ano de 2011, foram vistoriadas 78 propriedades, correspondendo a uma área de 15.035 hectares. Neste período, foram emitidas 10 notificações. Nenhum auto de infração foi gerado, já que os produtores atenderam as notificações e erradicaram as plantas vivas que foram encontradas nas propriedades.

De acordo com a Associação Mineira dos Produtores de Algodão (AMIPA), Minas Gerais conta atualmente com 177 propriedades que cultivam o algodão, o equivalente a uma área total de 29.600 hectares de plantações. Ainda segundo dados da AMIPA, durante a safra de 2010/2011 foram produzidos 43 mil toneladas da pluma.

Segundo Altino Rodrigues Neto, o diretor-geral do IMA, o Vazio Sanitário é uma campanha extremamente importante para o Estado, pois visa garantir a prevenção de pragas nas lavouras de algodão e, consequentemente, possíveis prejuízos ao produtor rural. "O algodão é um artigo de destaque em Minas. E o Vazio contribui para que o produto final produzido no estado seja competitivo no mercado, além de evitar possíveis perdas nas lavouras mineiras".

Fonte: Rural Centro

Adaptação: Revista Agropecuária

 

 

 

Conheça o Curso de Recuperação de Áreas Degradadas - Manejo, Conservação e Fertilidade do Solo

 

 

 

 

Veja outras publicações da Revista Agropecuária: Produção do etanol de 2ª geração, pode chegar até a dobrar a produção Saiba por que o húmus de minhoca é tão importante para as plantas Entenda por que o Agronegócio é tão importante para o Brasil    

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

Digite seu e-mail:

Agricultura

Notícias

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.