Reflorestamento feito com Paricá: alternativa ao eucalipto

As florestas cultivadas substituem o extrativismo predatório e podem ser usadas também para recuperar imensas áreas de pastagens degradas.

O eucalipto é historicamente utilizado para esse fim, como também para a produção de móveis e carvão vegetal.

O Paricá (shizolobium amazonicum), árvore da floresta atlântica, parente do guapuruvu, está surgindo como alternativa aos eucaliptais. Ele pode ser cortado com cinco anos de idade. Sua madeira é usada na construção civil e na fabricação de móveis.

A floresta de eucalipto é mais uniforme e mais produtiva porque foi plantada com mudas clonadas. Ao contrário do paricá que apresenta árvores finas e grossas e muita variação no crescimento. Para a extração de lâminas de compensado o paricá rende mais porque as árvores são cilíndricas e não têm galhos nos primeiros sete metros do tronco. O eucalipto é cheio de galhos e precisa de poda na época certa para eliminar os nós. Por isso o paricá é hoje a madeira mais cobiçada para a produção de compensado.

Veja mais sobre o cultivo da árvore no vídeo em destaque.

 

 

Assista o vídeo:

 

 

 

 

Fonte: Globo Rural Adaptação: Portal Suínos e Aves

 

 

Conheça o Curso de Produção de Milho no Sistema de Plantio Direto!

 

 

  Veja outras publicações da Revista Agropecuária: Falta de cálcio no sangue coloca vacas em risco no pós-parto "Moscas dos estábulos" são causadoras de grandes prejuízos na pecuária de leite e de corte Lei Leite Legal impulsiona a ovino-caprinocultura e a criação de indústrias do setor

Vídeos

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.