Ferrugem asiática é detectada em cultura de soja em SP

O primeiro foco de ferrugem asiática do ano foi registrado em uma plantação de Taquarituba (SP), da safra 2016/2017, através da Fundação ABC, no dia 15 de novembro.

Apesar da detecção, de acordo com os pesquisadores, o microrganismo ainda não oferece riscos reais, já que os sinais da doença são incipientes.

Diante do ocorrido, a Embrapa solicitou uma intensificação do monitoramento das lavouras, sobretudo nas que estão em estágio de desenvolvimento mais avançado, para que seja viabilizado, se for preciso, o uso de fungicidas.

A empresa reiterou que o monitoramento da ferrugem em sua fase inicial é de extrema importância para que as medidas de controle possam ser tomadas.

O monitoramento consiste na coleta de folhas, que levantadas contra a luz, podem evidenciar manchas escuras, caso estejam afetadas pelo microrganismo. Já no verso das folhas, a incidência de bolhas pode confirmar a infestação.

Além desta análise, a equipe deverá encaminhar estas folhas para a incubação em um recipiente, com o intuito de se verificar a proliferação do fungo, de forma mais visível.

A ferrugem-asiática é uma das doenças mais graves nas plantações de soja, sendo que há casos em que a ocorrência da mesma chegou a comprometer cerca de 80% da produtividade.

 

 A intensidade da umidade influencia para a proliferação da ferrugem, sendo necessário o produtor ter um manejo específico do seu projeto de irrigação. Confira aqui.

Fonte: Rural Pecuária

Agricultura

Irrigação

Notícias

Soja

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.