Saiba como escolher a melhor forma de ordenha

A ordenha deve ser conduzida com cuidados higiênicos, em um ambiente calmo e confortável, de modo que favoreça o máximo de produção pelos animais

O esforço e os gastos do produtor de leite serão bem ou mal remunerados em função da qualidade do leite produzido. Dessa forma, a ordenha deve ser vista como uma das atividades que exigem maiores cuidados e atenção no trabalho geral da fazenda. Os gastos devem ser encarados como investimentos, pois tem sido demonstrado que a adoção de um programa adequado para a produção higiênica do leite traz um retorno de até cinco unidades monetárias para cada unidade investida. O que resulta em benéficos como aumento da produção, pois vacas sadias produzem mais; melhor qualidade do leite; e menores gastos com medicamentos, mão-de-obra e assistência veterinária.

Portanto, a ordenha é uma das atividades mais importantes da pecuária leiteira. E por meio dela que se obtém o maior retorno do investimento realizado. A produção de leite de uma vaca depende não só da alimentação, sanidade, desempenho reprodutivo e potencial genético, mas também do modo como ela é ordenhada.

A ordenha deve ser conduzida com cuidados higiênicos, em um ambiente calmo e confortável, de modo que favoreça o máximo de produção pelos animais. Dessa forma, eles utilizam todo seu potencial genético e justificam os investimentos em alimentação, manejo e outros cuidados que lhes forem dispensados.

As práticas higiênicas durante a ordenha são importantes para que o leite mantenha sua qualidade e não perca seu valor por contaminação, seja por microrganismos, presentes no úbere do animal, seja por aqueles provenientes do ambiente ou das mãos do ordenhador. A falta de higiene facilita a sua penetração pelo canal da teta, causando infecção da glândula mamária. Para evitá-la, é necessário fazer a desinfecção das tetas com solução desinfetante apropriada. As instalações devem ser adequadas ao número de vacas, facilitando a movimentação delas. A construção deve ser feita de modo a facilitar as tarefas de limpeza, como a retirada de fezes e urina. O melhor local é em terreno permeável, com bom escoamento das águas, e longe de fontes de mau cheiro. É necessário, também, uma cobertura apropriada, para proteger contra a poeira e os raios solares. A água deve ser abundante e de boa qualidade.

A decisão do sistema de ordenha dependerá do número de vacas a ser ordenhadas, capital do produtor e qualidade/quantidade de mão-de-obra. O principais tipos de sistemas de ordenha são: ordenha manual, ordenha balde ao pé e ordenha em linha.

A Ordenha Manual é um sistema que exige menor investimento em equipamento e uma maior dependência da mão-de-obra, é de baixa eficiência e geralmente utilizado por pequenos produtores. Na maioria das vezes o leite apresenta um alto grau de contaminação, devido ao manuseio.

Na ordenha Balde ao pé os animais são ordenhados individualmente, através de um sistema de vácuo. As vacas podem ser ordenhadas no estábulo ou na sala de ordenha, possui também baixa eficiência, mas o seu custo de implantação é relativamente barato.

Já a ordenha em Linha é um sistema mais intensivo de ordenha, onde várias vacas podem ser ordenhadas simultaneamente. Existe uma linha de vácuo que fará a ordenha das vacas e depositará o leite na linha de leite. É mais caro de ser utilizado, porém de maior eficiência e recomendado para propriedades de alta produção.Esse sistema ainda pode ser dividido em espinha de peixe e tandem que se refere a disposição dos animais que são ordenhados.

Na ordenha em linha - Espinha de peixe as vacas permanecem em um ângulo de 33° em relação à outra. Existe um fosso que o ordenhador faz todo o processo de limpeza dos animais e inserção da ordenhadeira.

E por fim a ordenha em linha - Tandem se difere da anterior porque os animais são manejados individualmente sem interferir no tráfego dos demais.

 

Fonte: CPT - Centro de Produções Técnicas Adaptação: Revista Agropecuária  

Conheça o Curso de Administração Técnica e Econômica da Atividade  Leiteira

  Veja outras publicações da Revista Agropecuária: Milheto ANM17 na produção leiteira Como produzir mais leite e mais bezerros com menor intervalo de partos  

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

Digite seu e-mail:

Destaques

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.