Petrobrás vai investir pesado em bicombustíveis nos próximos 5 anos

A nova ideia da Petrobrás agora é investir em biocombustíveis, sendo que pretende investir R$ 2,5 bilhões em novas usinas, expansão de canaviais e logística.

A Petrobrás Biocombustíveis anunciou, nesta quinta-feira (11/08), que vai começar um projeto entre os anos 2011 e 2015 para investir US$ 2,5 bilhões na ampliação da produção de etanol e biodiesel no Brasil. Este volume faz parte do total de US$ 4,1 bilhões destinados ao negócio de biocombustíveis da empresa, que prevê US$ 1,3 bilhão para logística do etanol e US$ 300 milhões para pesquisas.

O Plano de Negócios da Petrobrás prevê, ao todo, US$ 224,7 bilhões de investimentos nos próximos cinco anos.

E a principal prioridade será o investimento em etanol. Onde serão investidos US$ 1,9 bilhão, o que representa 76% do total para produção. A meta é chegar, com os sócios, a um volume de 5,6 bilhões de litros em 2015 e 12% de participação no mercado nacional. E, dessa forma, pretende assumir a liderança no mercado nacional.

Os principais investimentos, cerca de 70% serão voltados à produção, construindo novas usinas, destilarias e aumento da capacidade de moagem e renovação de canaviais. Os investimentos se darão, prioritariamente, a partir das sociedades já firmadas com as empresas Guarani, Nova Fronteira e Total Agroindústria Canavieira.

Em relação ao segmento de biodiesel e de suprimento agrícola, cujos investimentos são da ordem de US$ 600 milhões, a empresa manterá, nos próximos anos, participação de cerca de 25% no mercado nacional, levando em consideração o crescimento orgânico da demanda de diesel e a vigência do B5 (5% de biodiesel adicionado ao diesel).

Com a recente aquisição de 50% da BSBIOS em Passo Fundo, a Petrobrás Biocombustível passou a contar com um parque produtivo formado por cinco usinas e capacidade para produzir cerca de 700 milhões de litros de biodiesel por ano. A empresa irá concentrar esforços nos empreendimentos no estado do Pará: o projeto Pará, de implantação de usina para atender a região Norte, e o projeto Belém, de produção de green diesel em Portugal em parceria com a empresa portuguesa Galp. Os dois projetos somam investimentos de R$ 884 milhões, geram atualmente 861 postos de trabalho e estão em fase de implantação da parte agroindustrial.

O etanol de segunda geração também não será esquecido, sendo que a Petrobrás vai destinar US$ 300 milhões só para pesquisa de seu desenvolvimento,produzindo o etanol celulósico, visando à produção em escala industrial. E tudo isso dentro de um processo de sustentabilidade da empresa.

  Fonte: Globo Rural Adaptação: Revista Agropecuária    

Conheça o Curso: Como Montar um Fábrica de Ração em seu Município

    Veja outras publicações da Revista Agropecuária: Bunge inaugura usina de etanol para abastecer todo Norte e Nordeste do país Etanol de segunda geração também vem do eucalipto Equipamento de baixo custo para produção de biodiesel    

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

Digite seu e-mail: 

Destaques

Floresta e Meio Ambiente

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2021 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.