Comércio de orgânicos no Brasil representa enorme potencial econômico

A comercialização de itens orgânicos gera 10%, do mercado de produtos certificados, no Brasil, que é estimado em US$ 6,5 bilhões gerados por ano. Nesse contexto, o comércio mundial de orgânicos movimenta US$ 60 bilhões por anos, e representa cerca de 2% das vendas convencionais de alimentos, um indicador baixo, mas com grande potencial de crescimento.

Segundo Ming Liu, coordenador do Projeto Organics Brasil, a economia verde tende a crescer ainda mais no Brasil. Ele sustenta que a inserção de itens orgânicos no plano nacional de alimentação escolar poderia dar um estímulo maior ao setor. Nos Estados Unidos o segmento já movimenta US$ 31 bilhões por ano e na Europa, cerca de US$ 28 bilhões. A agregação de valor à economia verde foi um dos temas discutidos durante a Conferência Green Rio, que aconteceu essa semana na Bolsa de Valores do Rio de Janeiro. Rastreamento de produtos, comércio justo e indicação geográfica foram apontados como as técnicas mais usadas atualmente para valorizar os produtos sustentáveis.

O incentivo a esses produtos pode ser exemplificado pelo caso de Redes de supermercados, como o Pão de Açúcar, as quais criam uma seção específica para este tipo de artigo, que através do código de barras pode ser rastreado desde a origem. O Grupo Pão de Açúcar mantém 1300 produtos orgânicos cadastrados e certificados e oferece constantemente uma média de 750 itens, com grande participação do segmento de frutas, legumes e verduras (FLV).  Segundo João Edson Gravata, Diretor Nacional do Grupo Pão de Açúcar, o Pão de Açúcar pretende se tornar referência comercial de produtos orgânicos.

Além desse grupo, a MegaMatte, rede de lanches naturais, investiu nesse comércio, mas ainda encontra dificuldades para encontrar fornecedores orgânicos. De acordo com Fátima Rocha, presidente da MegaMatte, a rede, que tem 170 franqueados em cinco estados brasileiros, possui uma demanda de 80 toneladas de morango, mas não encontra produtores orgânicos.

Ming Lu diz que, levando em consideração que, a França possui 600 produtos com indicação de origem ou geográfica, diante do Brasil com apenas 24 produtos, e isso indica o enorme potencial que o país tem a enfrentar. Isso porque a indicação geográfica é uma das técnicas com grande potencial de crescimento e excelente oportunidade de negócios no país.

 

Fonte: Criar e Plantar

Adaptação: Revista Agropecuária

 

 

 

Conheça o Curso de Recuperação de Áreas Degradadas - Manejo, Conservação e Fertilidade do Solo

 

 

 

Veja outras  publicações na Revista Agropecuária:

Importância do Casqueamento

Bovinos Você já viu frutas em formato de caixinha? Confira!

Código Florestal: custos da adequação e multas      

 

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

Digite seu e-mail:

 

Agricultura

Destaques

Notícias

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.