Características do Leite de cabra

A região Nordeste detém 91% do rebanho de caprinos do Brasil. A caprinocultura desperta interesse de criadores e técnicos, não só na região Nordeste, mas em todas as regiões brasileiras. Na região nordeste esta espécie animal representa uma importância social e econômica muito forte, tendo em vista que em várias situações, funcionam como moeda de troca.

O posicionamento da carne e do leite no mercado ainda enfrenta alguns entraves, principalmente os relacionados ao preconceito com relação ao consumo e o preço destes produtos no mercado.

Segundo o zootecnista, Emanuel Elzo Leal de Barros, o leite de cabra é de cor branca, pois apresenta uma baixa concentração do pigmento ß-caroteno conhecido como provitamina A, que origina a cor amarela no leite de vaca, em contrapartida o leite de cabra tem em sua composição teores elevados de vitamina A (1850 UI a 2264 UI de retinol), que estão disponibilizados após o consumo e que atuam como coadjuvantes em restituir ou manter os níveis no organismo desta vitamina, evitando-se doenças degenerativas na visão, reprodução, pele e perda de funções orgânicas.

O leite de cabra apresenta um sabor mais adocicado e odor diferenciado do leite de vaca, possui alto valor nutritivo e é de fácil digestão, devido ao reduzido tamanho dos glóbulos de gordura. A gordura do leite de cabra também difere da gordura do leite de vaca em relação às quantidades médias dos ácidos graxos.

Na gordura do leite de cabra são encontrados duas vezes mais os ácidos capróico, caprílico e cáprico, que são indicados para os pacientes em tratamento da síndrome de má-absorção de alimentos e nos distúrbios intestinais. O leite de cabra é reconhecido como alimento funcional, que pode ser definido "como todo produto alimentício ou componente do alimento e suas participações cientificamente conhecidas na manutenção da saúde, redução de riscos de doenças crônicas e modificação das funções fisiológicas".

Mesmo com todas estas características o leite de cabra não consegue atrair muitos consumidores, fazendo-se necessário que as associações e/ou cooperativas de produtores passem (ou continuem) a discutir e propor políticas de fomento a esta atividade. Outro ponto de extrema importância é a realização de pesquisas que visem disponibilizar para os produtores informações, as quais devem ser de fácil entendimento e aplicabilidade, em funções das características especificas de cada sistema de produção.

Fonte: Dia de Campo

Autora: Emanuel Elzo Leal de Barros

 

 

 

 

Conheça o Curso de Manejo Reprodutivo em Ovinos

 

 

 

 

 

  Veja outras publicações da Revista Agropecuária: Produção do etanol de 2ª geração, pode chegar até a dobrar a produção Saiba por que o húmus de minhoca é tão importante para as plantas Entenda por que o Agronegócio é tão importante para o Brasil    

 

Artigos

Ovinos

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.