Governo Federal instituiu a Comissão de Agroecologia e Produção Orgânica

A Comissão Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Cnapo) que construirá o Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica foi instituída, na terça-feira, dia 20 de novembro pelo Governo Federal que deu mais um passo em favor da sustentabilidade na agricultura e pecuária. O governo já havia constituído no mês de agosto deste ano, por meio do Decreto 7.794, a Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Pnapo).

Selvino Heck será o secretário executivo da comissão.  O grupo tem como integrantes 14 representantes de órgãos e entidades do Executivo Federal, entre os quais o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Outros 14 representantes serão indicados por entidades da sociedade civil. O ministro Mendes Ribeiro Filho e o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo, Caio Rocha, participaram do evento no Palácio do Planalto. Compete a comissão promover a participação da sociedade na elaboração e no acompanhamento da Pnapo.

A necessidade de elaboração de um plano nacional específico para o desenvolvimento da agricultura orgânica, de forma a possibilitar o uso mais racional dos recursos públicos aplicados para o setor foi destacada por Mendes Ribeiro. Segundo ele o Ministério da Agricultura tem um papel importante na implementação de mecanismos de controle para garantir a qualidade dos produtos orgânicos e por uma série de iniciativas e projetos que visam a promover a produção desse tipo de alimento no Brasil. "Nossa disposição é tornar a agroecologia uma política efetiva. Estamos avançando nesse compromisso", salientou o ministro.

O Ministério reforçou seu compromisso de difundir e apoiar o desenvolvimento da agroecologia no País, no Plano Agrícola e Pecuário 2012/13, lançado em junho deste ano. No âmbito do programa ABC, possibilitou o financiamento como incentivo à produção orgânica brasileira. Sendo assim, por meio dessa linha, disponibilizou aos agricultores recursos, cujo limite por beneficiário é de R$ 1 milhão, com prazo máximo de financiamento de 15 anos, período de carência de seis e taxa anual de juro de 5%.

Caio Rocha, secretário da SDC, salientou que: "Isso mostra a importância que o Governo está dando para a produção orgânica e, com isso, para o desenvolvimento sustentável e a qualidade de vida da população, por meio do uso sustentável dos recursos naturais e da oferta e consumo de alimentos saudáveis".

Fonte: Pecuária Rural

Adaptação: Revista Agropecuária

 

 

Conheça o Curso de Desenvolvimento e Produção Sustentável da Agricultura Familiar em seu Município

 

 

  Veja outras publicações da Revista Agropecuária: Escala do boi gordo está heterogênea Falta de pastagem desvaloriza bezerro desmamado em MG Manejo Intensivo de Pastagem

 

Agricultura

Ecologia

Notícias

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.