Coccidiose bovina

boi gordo em altaA coccidiose ou eimeriose bovina é uma moléstia infecciosa, causada por protozoários do gênero Eimeria. Esse protozoário compromete a absorção de água e nutrientes pelas células epiteliais do intestino. Em casos mais graves, o intestino chega a perder 20% a 30% da sua capacidade de absorção.

A doença pode ser dividida em dois tipos clínica e subclínica. Na forma clínica, há a ocorrência repentina de diarreia de cor negra, com presença de muco, estrias de sangue e coágulos, além do odor fétido. Dependendo da patogenicidade do protozoário a diarreia pode estender-se por mais de cinco dias, os animais ficam apáticos, há perca de apetite, andam de forma cambaleante e se desidratam devido à diarreia intensa.

Já os casos subclínicos não apresentam sinais claros e por trás dessa manifestação silenciosa escondem-se os maiores prejuízos causados pela moléstia, que pode ser confundida com outras enfermidades crônicas, como a verminose, desnutrição energética e proteica e deficiência de minerais. Há baixa conversão dos alimentos, o que acaba por retardar o crescimento do animal.

O controle da doença é feito por meio da garantia de boa imunidade por meio do colostro, adotar estratégias de quimioprofilaxia como: manter o piquete maternidade limpo; evite acúmulo de esterco; dividir os animais em lotes por faixa etária; utilizar para os bezerros piquetes com gramíneas de crescimento mais baixo, evitando o sombreamento excessivo; os piquetes deve se localizar em áreas mais drenadas; separar ao animais doentes do restante do lote até a recuperação; manter boas condições de higiene das instalações, dos cochos de alimentos e de água e realizar exames de fezes periodicamente, monitorando o possível aparecimento da doença.

Fonte: Revista Mundo do Leite

Adaptação: Revista Agropecuária

 

Conheça o Curso de Primeiros Socorros em Bovinos

Primeiros Socorros em Bovinos2

Bovinos

Notícias

Saude animal

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.