Biotecnologia de transferência de embriões

A biotecnologia de transferência de embriões (TE) muito utilizada no melhoramento genético dos rebanhos sejam eles bovinos, equinos, suínos, caprinos, entre outros. O melhoramento genético visa aumentar o número de descendentes de uma doadora geneticamente superior em um curto período de tempo e, consequentemente aumentar a qualidade do rebanho em genética e número.

O sucesso do procedimento da TE depende de alguns fatores como as receptoras escolhidas, ou seja, não é somente os animais doadores que precisam ser superiores, mas também os animais receptores precisam apresentar boas características. Outro fator determinante para o sucesso é também o custo e manutenção de fêmeas cruzadas. O estabelecimento e a manutenção da gestação envolvem a interação entre o embrião, o ambiente uterino e o corpo lúteo (CL).

A taxa de gestação de embriões derivados da superovulação (SOV) ou FIV são menores que as alcançadas por inseminação artificial (IA) ou monta natural. Os resultados podem estar associados ao subdesenvolvimento dos embriões, à assincronia útero-embrião e à má qualidade do CL das vacas receptoras, fatores que podem resultar em falhas no reconhecimento materno e também na manutenção da gestação dos animais.

 

Fonte: Revista ABCZ

 

Infraestrutura e equipamentos necessários para a realização de transfêrencia de embriões.

Manejo reprodutivo de doadoras e receptoras eguas.

 

Artigos

Biotecnologia

Bovinos de Corte

Equinos

Ovinos

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.