Método de irrigação por aspersão convencional

No método de irrigação por aspersão convencional a água é aplicada ao solo sob forma de chuva, de maneira intensa e uniforme, objetivando a infiltração de toda a água sem que ocorra escoamento superficial.

A irrigação por aspersão convencional se adapta com facilidade a qualquer tipo de solo no que diz respeito à textura e estrutura. Os solos que apresentam textura de alta velocidade de infiltração permite a utilização de aspersores com maior intensidade de aplicação, assim a menor tempo de irrigação por posição e, consequentemente, menor área irrigada por posição, dessa forma há a diminuição da quantidade de equipamentos necessários e menor custo de implantação, mas, por outro lado, exige maior utilização de mão-de-obra.

A técnica também pode ser utilizada em terrenos planos, de encosta ou de terraços. Mas, as áreas com declividades acentuadas dificultam o uso desse tipo de irrigação. O vento, a umidade relativa do ar e a temperatura são exercem grande influência na distribuição de água. O sistema por aspersão adapta-se a maioria das culturas.

As principais limitações de uso do sistema são: possível à propagação de pragas e doenças em algumas culturas devido ao tipo de sistema; pode causar problemas de sanidade na parte aérea da planta ao utiliza água salina para a irrigação; fortemente afetada pela ação dos ventos; maior custo de implantação e manutenção quando comparado a sistemas de irrigação por superfície.

 

Fonte: www.agencia.cnptia.embrapa.br

 

Projetos de sistemas de irrigação:

Projeto de Irrigação de um sistema autopropelido

Agricultura

Artigos

Irrigação

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.