Fluidoterapia em pequenos animais

A fluidoterapia se caracteriza como a recuperação do paciente através do tratamento de suporte, objetivando a expansão volemia, correção de desequilíbrios hídricos e eletrolíticos, suplementação de calorias e nutrientes, e também auxilia no tratamento da doença primária, mas para está é importante que a doença seja diagnosticada e tratada adequadamente.

A água corporal é responsável por todas as reações químicas do organismo, já que elas são realizadas em meio aquoso. A perda de água pode ocorrer por várias rotas, como perdas pelo suor e respiração. O fluido perdido pela respiração é considerado perda hipotônica. O aumento da temperatura corporal, hiperventilação, febre e atividade física resultam em aumento das perdas imperceptíveis. Já as perdas perceptíveis são as que podem ser detectadas e mensuradas, podendo ocorrer pelo trato urinário e gastrointestinal.

A desidratação é diagnosticada com a avaliação prévia do animal, assim é possível escolher o melhor tipo de fluidoterapia que será utilizada, assim como a via pela qual está será administrada. A necessidade de uma etapa de reidratação depende da doença primária.

 

Fonte: Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

 

 

Curso de Anestesias em Pequenos Animais

Curso de Cirurgias em Pequenos Animais

Áreas

Destaques

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.