Cuidados após a ordenha para evitar mastite

Uma doença contagiosa, de predominância bacteriana, que ataca as glândulas mamárias das vacas e vem causando enormes prejuízos econômicos aos produtores rurais, por conta da queda da produção de leite e gastos com remédios.

Essa é a mastite bovina, doença que pode ter diversas origens, sendo as mais comuns a infecciosa, alérgica ou própria do metabolismo do animal. 

A transmissão acontece de animal para animal ou até mesmo durante a ordenha, que precisa ser realizada com alguns cuidados, como a realização o mais breve possível deste procedimento.

É muito importante ainda a lavagem da parte inferior do úbere, que posteriormente precisa ser seca com tolhas limpas. A higiene do próprio ordenhador faz-se também necessária.

Outro procedimento para se evitar a doença é a limpeza periódica dos estábulos com desinfetantes, tanto no chão quanto nas paredes e tetos, já que a bactéria se prolifera na umidade e em meio a materiais orgânicos.

Há ainda alguns medicamentos específicos recomendados para o animal já doente, sendo importante ainda o exame bacteriológico do leite depois do tratamento, para ver se o mesmo surtiu efeito.

O leite do animal tratado, aliás, só pode ser consumido depois de um determinado período do tratamento, sendo que estas questões necessitam ser monitoradas e orientadas por um médico veterinário com experiência no assunto.

 

Veja técnicas de manejo da ordenha e formas de precauções contra a doença. Clique aqui.

Fonte: Dia de Campo

Áreas

Bovinos de Leite

Curiosidades

Economia Rural

Mecanização

Notícias

Pecuária

Políticas Rurais

Tecnologia

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.