Número de animais confinados diminui no MS em virtude do alto valor dos insumos

Pecuaristas do Mato Grosso tomaram a decisão de diminuir o número de bois confinados, em virtude do alto valor dos insumos praticados nos últimos meses. Sendo assim, de abril a julho deste ano, foram reduzidos 32% dos confinamentos de bois na região.

Isso quer dizer que no início do período eram 755,4 mil animais confinados. No final, apenas 506,6 mil. É a menor quantidade registrada nos últimos três anos.

De acordo com levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a metade dos pecuaristas que demonstraram a intenção de confinar seus animais, em 2016, mantém a decisão, mostrando que o restante já não tem a mesma confiança na queda dos insumos e perspectivas de mercado, que vem demonstrando instabilidade.  

Outra motivação consiste na alta do milho. Para 20,95% dos pecuaristas, o produto é o motivo maior das intenções de confinamento.

Para os produtores que vem optando pelo confinamento, o cenário que se desenha é o de desequilíbrio entre pouca oferta e maior demanda, mais comum no segundo semestre. Entretanto, a situação econômica do país vem inviabilizando o aumento do preço do boi gordo.

 

Saiba mais sobre a atividade econômica da bovinocultura de corte e atualize seus conhecimentos. Clique aqui.

Fonte: Portal do Agronegócio

Áreas

Bovinos

Bovinos de Corte

Economia Rural

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.