Por que investir em manejo sanitário, na criação bovina?

O Brasil ocupa um papel de grande relevância no cenário internacional de produção de carne bovina. Nos últimos anos, estivemos sempre nas primeiras colocações do ranking ao exportar para dezenas de países. Mas isso não foi por acaso. Chegamos neste ponto por meio de um trabalho que envolve investimentos maciços em manejo sanitário, atividade que se não for devidamente priorizada, pode culminar com altos prejuízos.

Um pequeno indício de doença pode causar muitos transtornos em uma atividade pecuária, a ponto de ocorrer a desvalorização do produto, embargo de países importadores, problemas com as autoridades sanitárias públicas, nacionais e internacionais, dentre outros.

E estas questões sanitárias tendem a crescer nos próximos anos, em virtude do aumento da demanda em escala mundial por alimentos, da exigência destes órgãos reguladores e do próprio consumidor que almeja carnes cada vez mais saudáveis.

Dentre deste contexto o pecuarista não pode abrir mão também dos investimentos em animais de genética diferenciada, nutrição balanceada e a um custo benefício interessante, de modo que os animais obtenham uma boa conversão alimentar.

Destaque ainda para o controle de doenças, infraestrutura e mão de obra qualificada, com uma equipe de veterinários capazes de atender todas as necessidades.

Além de todos os fatores descritos acima um bom planejamento e administração dos processos de criação fazem toda diferença no resultado final.

Quer garantir maior rendimento da produção e ter um retorno rápido? Então confira algumas dicas. Clique aqui.

Fonte: Ouro Fino Saúde Animal

Bovinos

Bovinos de Corte

Mecanização

Notícias

Parceiros

Pecuária

Tecnologia

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.