Sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF)

sistema de integração lavoura-pecuária-florestaVocê já ouviu falar sobre o sistema de integração lavoura- pecuária-floresta (ILPF)? É um modelo de produção que une sustentabilidade e ganhos financeiros. O Produtor rural tem oportunidade de optar por diferentes combinações de sistemas, entre eles o de lavoura-floresta, lavoura-pecuária, floresta-pecuária, ou mesmo a junção dos três componentes.

Aliás, uma das principais vantagens da ILPF é a recuperação dos nutrientes do solo, e as árvores plantadas servem como sombra para o gado e posteriormente como uma segunda alternativa de ganhos para o produtor ao vender a madeira.

O gado é criado debaixo das árvores, possuem maior bem-estar e por consequência são mais produtivos. E mais, o meio ambiente também é beneficiado, pois, a integração lavoura-pecuária-floresta contribui para redução da emissão de gases de efeito estufa. No decorrer deste artigo você irá compreender sobre as características deste sistema de produção. Vamos ao conteúdo!

Modalidades do sistema ILPF

O sistema de integração lavoura-pecuária-floresta pode ser implantado na propriedade em quatro diferentes modalidades, a escolha da mais adequada deve ser feita com base na análise das características da região em questão. Análise do clima, em função do plantio das árvores, e a disponibilidade de recursos como maquinário. Confira abaixo os quatro sistemas utilizados:

- Integração lavoura-pecuária (ILP)/Sistema agropastoril: Neste sistema ocorre a integração de componentes agrícolas e pecuário em rotação, consórcio ou sucessão. Acontecem na mesma área em um mesmo ano agrícola ou mesmo durante vários anos.

- Integração lavoura-floresta (ILF)/Sistema silviagrícola: Ocorre a consorciação de sistemas arbóreos junto com cultivos agrícolas anuais ou perenes.  

- Integração floresta-pecuária (ILP)/Sistema silvipastoril: Mais comum de ser implantado em áreas com dificuldade de cultivo de lavouras, assim inclui somente componentes florestais e pecuário na mesma área.

- Integração lavoura-pecuária-floresta(ILPF)/Sistema agrossilvipastoril: Na ILPF os componentes agrícolas e pecuários são unidos em forma de rotação, consórcio ou sucessão. Porém, o componente lavoura pode ou não se restringir a fase inicial de implantação do componente florestal.

Árvores no sistema de integração lavoura-pecuária-floresta

O sistema ILPF pode ser implantado em propriedades de diferentes regiões e portes, e na maioria dos casos as árvores são plantadas bem no começo da introdução do sistema. Vale lembrar que elas proporcionam conforto térmico para o os animais, pois, se alimentam em uma pastagem sombreada e as folhas que caem no solo contribuem no aumento de matéria orgânica.

As árvores escolhidas para integrar esse sistema devem apresentar algumas características, listamos as principais abaixo, confira:

  • Fuste alto

  • Tolerância a seca

  • Copa pouco densa

  • Crescimento rápido

  • Adaptação ao ambiente

  • Capacidade de fornecer sombra e abrigo

  • Capacidade de fornecer nitrogênio e nutrientes a pastagem

Entre as espécie mais adotadas pelos produtores está o eucalipto, pois apresenta rápido crescimento e se adapta bem a diferentes condições de clima e solo. As árvores são plantadas em linhas espaçadas entre os campos de lavoura e pastagens. Aliás,o objetivo é reservar espaço suficiente para que as máquinas trabalhem com tranquilidade durante a safra de grãos. Posteriormente, é preciso realizar medidas importantes como o desbaste, são retiradas as árvores defeituosas, favorecendo o crescimento das demais e a obtenção de toras com diâmetros mais extensos.

O eucalipto apresenta uma variada gama de possibilidades para destinação final. Porém, algumas formas são mais atrativas. Podem ser destinados para postes, madeira serrada e laminados para produção de móveis. Destinações mais nobres para a madeira exigirá uma espera maior para o corte. Existem outras espécies que podem ser implantadas, porém, exigem um pouco mais de paciência do produtor. Então, algumas opções são o cedro rosa, o paricá, o baru e a canafístula.

Vantagens do sistema ILPF para pecuária de corte

Quando o produtor opta por trabalhar com o sistema completo, ou seja, integração lavoura-pecuária-floresta, a introdução dos animais começa a ser feita a partir do terceiro ano. Isso, porque nessa etapa as árvores plantadas já tiveram tempo suficiente para atingir um tamanho que proporciona sombra para o gado. Aliás, evita também que eles destruam as árvores pequenas.

Você que trabalha ou tem interesse em trabalhar com gado de corte, confira as vantagens proporcionadas pela adoção do sistema de integração lavoura-pecuária- floresta (ILPF):

  • Diminuição da idade de abate
  • Maior ambiência e conforto animal
  • Forragens com maior valor nutritivo
  • Amortização dos custos de formação e renovação das pastagens
  • Maior oferta de alimentos ao gado especialmente na época de seca
  • Produção de carcaças de melhor qualidade em função de uma pecuária de ciclo mais curto e com uma alimentação de qualidade

Uma das características dos zebuínos é a maior resistência ao calor e outros fatores ambientais. Porém, como sabemos o Brasil possui altas temperaturas e elas costumam interferir na zona de conforto dos animais, causando estresse calórico e interferindo diretamente na alimentação do gado de corte.

Mais do que isso, o gado diminui o tempo ingerindo os alimentos e o tempo de ruminação. Desta forma, ocorre impacto direto na produtividade do rebanho. O sistema silvipastoril é uma maneira de fornecer esse equilíbrio de temperatura para os animais e redução na frequência respiratória.

Observações sobre o sistema ILPF

Para adoção desse sistema é condição necessária que os profissionais envolvidos estejam muito bem alinhados. Porém, ainda existem muitos produtores que têm receio em introduzir as árvores nessa prática. Sobretudo, há um tradicionalismo e resistência a adoção de técnicas novas.

É fato também que a atividade proporciona retorno apenas em médio e longo prazo, em especial no caso dos componentes florestais. E mais, demanda altos investimentos em infraestrutura e componentes de cada um dos sistemas de integração. Assim, como os investimentos são mais altos os riscos também. Sendo que, a produção de grãos é a que apresenta maiores riscos, pois além de tudo depende de fatores climáticos, mercadológicos, além de estar sujeito a pragas e doenças.

Mesmo com todos os pontos mencionados acima, a ILPF vem sendo implantada com sucesso em muitas propriedades de gado de corte e leite. Ao passo que, a exploração da atividade pecuária no sistema silvipastoril traz ganhos visíveis para o rebanho e para as pastagens que ganham uma proteção a mais contra condições climáticas extremas.

Assim, levando em consideração as diversidades de cada propriedade (localidade, clima, solo, entre outros), cabe a equipe responsável pela propriedade analisar os melhores modos para implantar a técnica. Qualquer cultura pode ser estabelecida dependendo somente da região de localização da propriedade e da vocação, experiência e estudos de cada produtor. No final a propriedade passará a explorar os ganhos dos diferentes sistemas produtivos que poderão envolver grãos, fibras, madeira, carne, leite e agroenergia, em uma mesma área no sistema de consórcio.

Quer mais dicas sobre a área de gado de corte? fique atento a publicação dos nossos artigos semanalmente. Já para você que não abre mão de se capacitar e viver experiências práticas em bovinocultura de corte, está aberta a agenda vip de cursos do CPT Cursos Presenciais. Confira abaixo os 9 pontos que fizeram mais de 900 alunos se capacitarem:


 

Fonte: Embrapa, Globo Rural e Sistema de integração de lavoura-pecuária-floresta- experiências no Brasil

 

Artigos

Bovinos de Corte

Bovinos de Leite

Destaques

Floresta e Meio Ambiente

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.