Prolapso uterino em vacas: Você já ouviu falar sobre essa doença?

 

Prolapso em vacas

O prolapso uterino em vacas é um assunto importante, que todo Médico Veterinário deve ter conhecimento. Esse distúrbio se destaca por ser bastante comum: afeta cerca de 5,36% das vacas. Costuma ocorrer logo após o parto, o que prejudica  a eficiência reprodutiva do animal. Trazendo grandes prejuízos econômicos para os produtores rurais.

E quando o problema ocorre, requer um tratamento de urgência. Certamente, não só para salvar a vida do animal. Mas, também, para que as as vacas retornem para a função reprodutora o quanto antes. Por isso, o médico veterinário tem de estar preparado para atender um caso de prolapso uterino em vacas.

Como já visto, casos não tratados podem levar a perda da vida do animal. Quer conhecer mais sobre o prolapso uterino em vacas? Então continue lendo e fique por dentro do assunto!

O que é o prolapso uterino em vacas?

Prolapso uterino em vacas

Chamamos de “Prolapso” quando algum órgão do animal se desloca de sua posição normal. Ocorrido pelo enfraquecimento de músculos ou ligamentos que o ajudam a se manter naquele lugar.

No caso do útero, o ligamento largo do útero une o órgão à parede dorsal do abdômen. Dividindo-se em 3 porções: mesovário (ovários), mesossalpinge (tubas uterinas) e mesométrio (útero). Esse ligamento é geralmente o responsável pelo acontecimento de um prolapso quando enfraquecido.

 

Principais causas 

Os fatores que causam a ocorrência dessa doença são:

  • Hipocalcemia, devido a uma queda nos níveis de Cálcio do sangue pelo início da lactação;

  • Infecções uterinas, como Metrite, Piometra e Endometrite, provocadas por bactérias;

  • Retenção de placenta, geralmente ocasionada por indução do parto;

  • Partos onde ocorrem contrações excessivas, como partos distócicos e gemelares.

Alguns fatores nutricionais, sanitários e problemas na identificação do cio podem retardar o regresso do rebanho à reprodução. Além disso, esse atraso aumenta o período de serviço e de intervalo entre partos. Também pode ocorrer redução no período de lactação e menor produção de bezerros por ano durante a vida útil.

Tratamento

O tratamento basicamente é operatório e requer força, técnica e rapidez. Já que, caso o animal não seja tratado, ele pode morrer. Por isso, este deve ser um assunto de interesse para todo especialista em grandes animais.

Ao se deparar com um útero prolapsado,a superfície observada é a face interna do útero (endométrio), que envolve o feto e onde estão as carúnculas. Essas são projeções que se ligam aos cotilédones da placenta e enviam sangue materno rico em nutrientes ao feto.

O maior desafio para resolver essa situação é o edema causado pelo difícil retorno sanguíneo, que faz com que o útero edemaciado possa pesar mais de 50kg. A fim de prevenir uma maior distensão do útero e aliviar a dor do animal. É recomendável aplicar uma anestesia epidural, que irá facilitar a manobra, inibindo contrações e a defecação durante a operação. 

Para realizar o procedimento, alguns cuidados devem ser tomados. Como, lavar o órgão removendo qualquer sujeira ou restos de placenta que possam causar uma infecção futura. A lavagem deve ser feita com água corrente e uma solução diluída de polivinil-pirrolidona de iodo (PVPI).

A operação de redução do prolapso consiste em, basicamente, recolocar o órgão em sua posição anatômica e topográfica, erguendo-o para cima e fazendo uma pressão suave, firme e constante da porção mais próxima à vulva . Um lubrificante obstétrico pode auxiliar nessa manobra.

Entretanto, é importante salientar que esse procedimento deve ser realizada por um médico veterinário apto. Pois, manobras bruscas podem perfurar ou rasgar o útero do animal, agravando seu caso.

Como prevenir essa doença?

O prolapso uterino em vacas pode ser prevenido através do: 

  • Controle dos níveis de Cálcio no sangue da vaca, evitando uma hipocalcemia;

  • Evitar que, em tempos próximos do parto, a fêmea esteja acima do peso;

  • Fornecer alimento e água de boa qualidade, principalmente nos últimos meses de gestação;

  • Evitar o “Trevo Vermelho” na pastagem, porque essa planta atua como o hormônio Estrogênio. Podendo causar o prolapso, não somente nos animais gestantes.

Casos como esse são mais comuns do que imaginamos. Para garantir uma gestação tranquila e sem empecilhos, o Médico Veterinário deve fazer uso de equipamentos e técnicas. Dessa forma, garante  também o sucesso de todo o processo de reprodução do animal. 

Por isso, trouxemos uma dica preciosa para garantir a eficiência na área de reprodução bovina. Clique no banner abaixo e confira!

Prolapso uterino em vacas

Bovinos

Bovinos de Corte

Bovinos de Leite

Destaques

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.