Doenças de cascos em bovinos: Veja quais são as principais

doenças de cascos em bovinosAs doenças de cascos em bovinos estão entre as principais enfermidades que acometem o rebanho brasileiro. Elas são responsáveis por 60% das causas da claudicação. Em casos mais graves, a doença pode até comprometer a locomoção do bovino.

O desgaste dos cascos causa enormes prejuízos econômicos. O animal que é acometido pela enfermidade, por não conseguir andar direito, não se alimenta adequadamente e perde peso. Desta forma, há uma diminuição drástica na produção de leite, carne e também na reprodução.

Por isso, medidas eficazes de tratamento e controle são recomendadas para minimizar os prejuízos. Quer saber mais sobre esse assunto? Então, continue lendo esse artigo e confira quais as principais doenças de cascos em bovinos!

Causas das principais doenças de cascos em bovinos

As causas das afecções nos cascos dos bovinos são multifatoriais. Elas podem estar ligadas a um problema de manejo nutricional, no ambiente que o bovino fica e até uma questão genética.

Geralmente, a doença acomete os rebanhos no qual o manejo do animal não ocorre de forma que sejam respeitadas as condições de higiene. Quando a alimentação também não é adequada, as chances do rebanho adquirir a enfermidade são maiores.

Outro fator decisivo é a exposição do rebanho à umidade excessiva, que acaba amolecendo as lâminas dos cascos, deixando o bovino mais predisposto a traumatismos. Pisos irregulares, de concreto, pedras ou cimento, também propiciam o aparecimento da enfermidade. Pois, as movimentações do dia a dia em pisos inadequados lixam e desgastam os cascos, fazendo com eles fiquem desiguais.

Principais doenças

São várias as doenças de cascos em bovinos. Dentre as principais, podemos destacar:

Panarício Interdigital: Essa doença é a mais conhecida entre os produtores, é uma enfermidade infecciosa, causada por bactérias. Ela pode ser observada em qualquer estação. Porém, surge mais frequentemente no final da primavera e do verão e no início do outono, quando o tempo está muito seco ou muito chuvoso.

Laminite: É um processo inflamatório, que pode ser classificada em aguda, crônica ou subclínica. Sua causa está diretamente ligada a ingestão excessiva de grãos. Ela acomete estruturas sensíveis da parede do casco do animal e ainda, resulta na claudicação e deformidade permanente do casco.

Úlcera de sola: Ocorre uma lesão na junção da sola com o bulbo, que por sua vez, se associam a uma zona circunscrita de hemorragia e necrose localizada.

Doença da linha branca: Neste caso, há uma separação da sola e da parede da borda da sola dos animais. O cório é infectado a partir dessa fissura, depois há a formação de abscessos na subsola. Em casos mais graves, essa enfermidade pode afetar as articulações.

Dermatite interdigital: Compreende numa inflamação da pele do espaço que separa os dois cascos, por efeito da ação de duas bactérias, a Fusobacterium necrophorum ou bacilo da necrose e a Bacteroides nodosus. Ao que parece, essa doença é contagiosa. O animal acometido por essa doença apresenta um endurecimento e necrose das fibras, possui coloração acinzentada e odor desagradável.

Erosão de talão: A ocorrência dessa doença está relacionada à baixa qualidade dos tecidos córneos secundária à laminite e a infecções bacterianas secundárias.

Podridão de casco: Se caracteriza como uma infecção necrótica, subaguda ou aguda, de origem em lesões na pele interdigital. Essa doença, ainda é uma porta de entrada para infecções.

Diagnóstico

O diagnóstico das doenças de cascos em bovinos é realizado de forma clínica, por meio da inspeção dos dígitos e sinais apresentados. Os bovinos podem apresentar sinais que vão desde uma sutil claudicação, apresentação de manqueira, relutância na locomoção ou até a total incapacidade de permanecer em estação.

Tratamento

Após a constatação da doença, o médico veterinário, será o responsável por recomendar o melhor procedimento e a duração do tratamento. Geralmente, após a confirmação do diagnóstico, o procedimento imediato é o isolamento do animal. Ele deve ser deslocado para um local seco, sem a oferta de concentrado e com forragem e água de boa qualidade.

Em alguns casos, são recomendados a administração de antiinflamatórios e antibióticos, que serão eficazes para combater os microrganismos causadores das afecções do casco.

Prevenção

Um maneira de prevenção que possuir sua eficiência comprovada, é o uso do Pedilúvio, onde os animais passam para molhar o casco pelo menos uma vez por dia. O pedilúvio é uma instalação em que se colo, onde é colocado soluções com o objetivo de melhorar a saúde dos cascos. Essa é uma possibilidade de prevenção de baixo custo e fácil implantação. Vale ressaltar, que é essencial que o produtor faça um lava pé antes do pedilúvio, com o objetivo de não contaminar a solução. 

Sobretudo, aderir a práticas preventivas e curativas podem trazer excelentes resultados. Alguns cuidados podem prevenir as doenças de cascos:

  • Fornecer manejo nutricional equilibrado e balanceado;

  • Ambiente higienizado, com piso seco e limpo;

  • Realizar regularmente o casqueamento preventivo.

Como na maioria das enfermidades, a melhor solução para as doenças de cascos em bovinos é a prevenção. A alta frequência de manqueiras em nossos rebanhos, a exemplo do que tem ocorrido em todo o mundo, tem causado grande preocupação entre os produtores. 

A partir do casqueamento correto é possível corrigir imperfeições nos aprumos, restabelecer o apoio correto e evitar patologias graves que causam manqueiras.

Você quer aprender a corrigir os principais defeitos dos cascos de bovinos e evitar prejuízos futuros? Então, clique no banner abaixo e confira como aprender!

 

Para finalizar, que tal um super ebook gratuito de gado de corte com dicas valiosas sobre o manejo nutricional? Clique no link abaixo e baixe o material! 

 
GUIA GRATUITO DE GADO DE CORTE

 

Fontes: Fundação São Jorge  e Ouro Fino Saúde Animal

 

Bovinos

Bovinos de Corte

Bovinos de Leite

Destaques

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.