Administração de fazendas de bovinocultura de corte: conheça os pontos chave

Administração de fazendas de bovinocultura de corte

Sabemos que um dos grandes desafios da bovinocultura de corte está na gestão da propriedade, e na mudança de mentalidade por parte do produtor. Assim, é possível ter uma ideia de como a administração de fazendas ainda é uma deficiência do pecuarista brasileiro, que, muitas vezes, não consegue unir teorias de gestão com a realidade do seu rebanho.  Na criação de gado de corte, a fazenda precisa ser encarada como uma empresa rural para que o negócio se torne lucrativo.

Alguns pecuaristas ainda acreditam que basta listar e programar algumas atividades tidas como regras para transformar a atividade pecuária em um negócio lucrativo. Assim, criam um plano envolvendo ações como escrituração zootécnica, escrituração financeira, definição de controles, levantamento de custos de produção, mas encontram grandes dificuldades no momento da execução, o que faz com que o planejamento, muitas vezes, não saia do papel. Essa visão simplista logo se mostra ineficaz, pois não dedicam o devido valor e a rotina da propriedade não é alterada, o que definitivamente não contribui para  o sucesso da bovinocultura de corte enquanto negócio.

Pensando nisso, reunimos pontos importantes sobre administração de fazendas de bovinocultura de corte, buscando ajudar o produtor a entender melhor sua propriedade como negócio. Confira!

A tomada de decisão é fundamental na administração de fazendas

Como ressaltamos, o sucesso na bovinocultura de corte está, entre outras coisas, ligado à percepção da propriedade como uma empresa rural. Assim, a administração de fazendas deste segmento exige, como em todo negócio, tomadas de decisão. Contudo, essas precisam levar em consideração aspectos internos e externos da propriedade, o que muitas vezes não acontece já que, em grande parte, não é realizada uma análise prévia e rotineira da fazenda. Portanto, o conhecimento desses fatores é de grande importância para que os recursos produtivos, como insumos, mão de obra, equipamentos, entre outros, sejam adequadamente empregados, visando à rentabilidade do sistema.

A tomada de decisão deve ser direcionada, não apenas para a eficiência zootécnica da pecuária de corte, mas também para a eficiência econômica. O gerenciamento da empresa rural deve associar esses conceitos para que a produção de carne ou a venda de animais atenda as expectativas de lucro.

Em linhas gerais, alguns aspectos devem ser considerados na administração de fazendas de bovinos e, portanto, na tomada de decisão. São eles:

  • Custo anual total da produção da propriedade: considerando valor de insumos e pastagens, pró-labore do produtor, custo de pessoal, depreciação, desembolsos, juros, entre outros que possam acontecer durante a produção;

  • Custo, atualizado, da arroba do boi gordo e do bezerro desmamado;

  • Participação percentual dos diferentes componentes do custo;

  • Margem bruta, que deve considerar os desembolsos;

  • Margem operacional: a receita total obtida com descontos de reembolsos, depreciação e pró-labore;

  • E claro, lucro, que é a receita total menos os custos totais de produção.

Pontos chave para a administração de fazendas de bovinocultura de corte

Agora que já mostramos o peso da tomada de decisão para a administração de fazendas e como é importante que esta seja feita de forma embasada, existem outros pontos, ligados aos fatores listados que devem ser considerados. Anteriormente listamos fatores mais técnicos que precisam ser examinados durante o processo administrativos, contudo um cenário mais amplo precisa ser considerado.

Assim, o gestor que deseja ter sucesso na bovinocultura de corte precisa aprender a analisar os cenários que o cercam, de modo a extrair as informações necessárias para suas decisões. Dessa forma, para um pouco além dos números, existem quatro pontos chave que todo o gestor precisa estar atento. São eles:

Pessoas

Para o sucesso  na administração de fazendas é importante que o grupo de pessoas envolvido nos processos esteja ciente e alinhado sobre o planejamento e ações a serem executadas. Manter toda a equipe de trabalho engajada é função de um bom líder, assim como reconhecer quando é preciso parar, planejar e dividir as funções. Assim, para que o planejamento da propriedade saia, de fato, do papel é importante que todos conheçam quais suas ações e o impacto delas no resultado final. Desse modo, os custos de pessoal deixam de ser gastos e passam a ser encarados como investimentos, já que uma boa equipe influencia, diretamente, nos seus resultados.

Mercado

Conheça bem seu segmento de atuação, principalmente na sua região de atuação. Como o mercado é algo, muitas vezes, fora do controle do produtor, é importante buscar conhecer seus aspectos gerais e específicos. Portanto, analisar a concorrência, nível tecnológico, tipo de produção permite que você entenda os preços praticados e saiba se posicionar nesse cenário de forma eficiente.

Financeiro

Como já ressaltamos no tópico sobre tomadas de decisão, é importante estar com o financeiro em dia. Conhecer seus custos e receitas é fundamental para entender se a propriedade está seguindo na direção desejada. Portanto, é importante para o gestor manter uma organização rotineira do fluxo de caixa da fazenda. Dessa forma, é possível realizar uma melhor gestão do capital, evitando problemas com oscilações de mercado ou imprevistos.

Ambiente

A natureza não pode ser controlada. Por isso, considerar questões como chuvas, umidade e temperatura é importante durante a fase de planejamento. Assim, é possível que os processos e o financeiro estejam preparados para o que possa acontecer, evitando prejuízos.

Busque capacitação!

O proprietário precisa entender que a pecuária de corte é uma atividade segura, um investimento conservador. Porém, para que seja um investimento bem sucedido, produtores, gerentes e consultores técnicos devem estar atentos a conceitos sobre produtividade, custo de produção e eficiência econômica. Esse alinhamento é essencial para que sua empresa rural consiga sobreviver e se destacar em um ambiente cada vez mais competitivo e globalizado.

Portanto, é importante encarar a necessidade de capacitação como uma possível realidade, tanto para você como para a sua equipe. Como a bovinocultura de corte é uma atuação mais tradicional, muitos proprietários e funcionários ainda mostram resistência em entender a necessidade de práticas de gestão. Assim, para que os processos de administração de fazendas fiquem internalizados e possas, enfim, fazer parte da rotina, a capacitação dos envolvidos nessas práticas é a chave.

Quer saber mais sobre como administrar uma fazenda de gado de corte? CLIQUE AQUI e saiba como aprender na prática!

Fonte: CPT Cursos Presenciais

Áreas

Artigos

Bovinos de Leite

Destaques

Economia Rural

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.