Leite Mineiro x Coronavírus: deputado fala sobre as medidas públicas para o setor!

Leite Mineiro x Coronavírus deputado fala sobre as medidas públicas para o setorA atual situação causada pela pandemia mundial do coronavírus (covid-19), tem preocupado a todos por impactar diversos aspectos da nossa sociedade. Como era de se esperar, diversos setores da economia tem sofrido com as mudanças de relações provocadas pelo vírus. mesmo em áreas bem estruturadas, como a pecuária de leite nacional, esse impacto não deixa de ser notado.

Por isso, o deputado estadual, eleito por Minas gerais, Coronel Henrique, se pronunciou a respeito do cenário da pecuária de leite do estado diante da situação. Em sua fala, o coronel tratou de algumas ações públicas referentes ao setor e, em sua visão, é importante que o produtor não pare. Confira a seguir seu posicionamento completo:

Leite Mineiro x Coronavírus 

A pandemia da Coronavírus (Covid-19) não consegue parar a cadeia do leite de Minas Gerais. A vaca não para, o produtor não para e as indústrias não param. Mesmo assim, como o restante do país, a cadeia produtiva está com receio do novo coronavírus. Medidas de proteção estão sendo tomadas, com máscaras já fazendo parte da rotina e o aperto de mão, tão valorizado entre os homens do campo, está em quarentena. 

Apesar disso, a vaca não para! O leite continua a ser produzido, captado pelos milhares de laticínios mineiros e transformado em alimentos. Dessa forma, a gente garante que a cadeia segue, e esses produtos vão diretamente para os supermercados e para a mesa do consumidor brasileiro. Minas é responsável pela maior produção de leite e derivados do país, e nossos produtos estão em distribuídos pelo Brasil e pelo mundo.

Neste momento, indústrias que produzem queijos, iogurtes e doces estão presenciando uma queda do consumo. Talvez, devido a uma preocupação inicial do consumidor em priorizar a compra do leite, dando preferência para o leite UHT. Assim, gostaria de salientar que o queijo é uma ótima fonte de nutrientes e o iogurte melhora nosso sistema imunológico. Além, é claro, os doces são sempre boas opções de sobremesa. Por isso, indico a todos os consumidores que, na medida do possível, voltem à rotina de consumo de derivados do leite.

Nós, da Comissão de Agropecuária e Agroindústria da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, estamos em contato direto com o produtor e a indústria. Assim, seguimos trabalhando todos os dias da semana buscando, por meio das ferramentas disponíveis (projetos de lei, requerimentos, reuniões, medidas parlamentares), mecanismos para que a cadeia leiteira mineira enfrente o Covid-19 da melhor forma possível. Tudo isso, com o objetivo do consumidor final continuar mantendo em seu lar os melhores produtos feitos do leite.

Nesse sentido, apresentei uma emenda ao projeto de lei de autoria coletiva de deputados. Tal projeto dispõe sobre a adoção de medidas para o enfrentamento do estado de calamidade pública, decorrente da pandemia do novo coronavírus. A emenda permitiu que medidas como: suspensão temporária de novos reajustes das tarifas dos serviços públicos sob a responsabilidade do estado, promoção da obtenção de crédito e de suporte logístico e operacional, prorrogação do pagamento de tributos, multas e demais encargos, possibilidade de suspensão temporária dos procedimentos de cobrança de dívidas tributárias e não tributárias, bem como de parcelamento do pagamento de débito consolidado, no período em que perdurar o estado de calamidade pública e gestão junto ao governo federal para a redução da carga tributária de pequenas e microempresas, pudessem beneficiar também o setor agropecuário do estado e não só estabelecimentos comerciais e de serviços como inicialmente proposto.

Entendemos que, neste momento, também é importante o reforço a projetos sociais para distribuição do leite para pessoas de baixa renda e em situação de vulnerabilidades social. Além, é claro, da inclusão do leite na merenda escolar e, tendo em vista à paralisação das aulas, que este alimento seja transferido para o domicílio do aluno. Com esse intuito, apresentei requerimentos de providências para o governo do estado, o Ministério da Economia e o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento com as demandas da indústria de laticínios e do produtor de leite de Minas Gerais.

Os requerimentos visam medidas para diminuir custos e aumentar a disponibilidade de crédito para produtores e indústrias conseguirem manter suas atividades, seus colaboradores e toda a cadeia leiteira em movimento. Requeri também, providências para a facilitação do fluxo de pessoas e insumos envolvidos nas atividades agroindustriais e o escoamento da produção agropecuária do estado e para a divulgação aos municípios mineiros das orientações e informativos elaborados pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) sobre as medidas deliberadas pelo Comitê Extraordinário Covid-19 do Estado, relacionadas às atividades agropecuárias.

O leite mineiro não para! A vaca mineira não para! O consumidor não vai ficar sem os queijos, iogurtes, doces e o leite do dia a dia.

Autor: Coronel Henrique é deputado estadual pelo PSL, médico-veterinário, coronel do Exército e presidente da Comissão de Agropecuária e Agroindústria da Assembleia Legislativa de Minas Gerais

Original publicado em: Agro em Mídia, 06/04/2020

Adaptação: Redação Revista Agropecuária

Bovinos de Leite

Destaques

Notícias

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.