Vacinação em bovinos: saiba os segredos para um processo eficaz

A vacinação em bovinos é a chave para manter um bom manejo dentro do rebanho. Embora a vacinação possa gerar um gasto extra ao proprietário, o custo-benefício das aplicações corretas são infinitamente superiores, evitando perda dos animais por doença e perda da produtividade econômica. 

Entretanto, prevenir o aparecimento e minimizar os impactos de doenças através da aplicação de vacinas requer planejamento, que vai desde a aquisição do imunizante até o descarte do material utilizado. Ou seja, é preciso conhecimento das técnicas e, se possível, a presença de um médico veterinário para formular o calendário de vacinação.

Para sanar de vez as suas dúvidas sobre vacinação em bovinos e promover um manejo eficaz no seu rebanho, continue a leitura deste artigo e veja o que você precisa saber sobre este tema. 

Principais vacinas e quando aplicá-las nos bovinos

Existe um vasto número de vacinas no mercado brasileiro e cada uma exige uma conduta específica de aplicação. É importante ressaltar que fatores como idade, estado nutricional, estresse, prenhez, entre outros, podem influenciar nos resultados imunológicos do animal. 

No Brasil, os bovinos, em sua maioria, são vacinados contra: febre aftosa, brucelose, clostridioses, botulismo, leptospirose, raiva, rinotraqueíte infecciosa bovina (IBR) e diarréia viral bovina (BVD). No caso da febre aftosa, o calendário é determinado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e deve ser verificado, pois há uma recomendação para cada estado. 

Contra a brucelose, a vacinação é apenas uma dose e aplicada somente em em fêmeas entre 3 e 8 meses de idade. Já a vacinação para a prevenção de clostridioses é feita em todos os animais. As enfermidades causam uma taxa de mortalidade alta e possuem alto grau de dificuldade em suas erradicações, pois os esporos das bactérias se disseminam no ambiente. Por isso, a vacinação deve ser feita anualmente. A primeira dose é indicada a partir dos dois meses de idade com reforço 30 dias após em bezerros filhos de mães vacinadas.

Outra vacina que deve ser aplicada em todo o rebanho é a leptospirose. Sua aplicação varia entre quatro e seis meses de idade, com reforço após quatro semanas. A vacinação pode ocorrer a cada seis meses ou em intervalos menores, ficando a critério do pecuarista. 

Por outro lado, a vacinação em bovinos contra raiva e botulismo depende da região. No caso da primeira, a aplicação acontece em regiões onde existem colônias permanentes de morcegos hematófagos. Porém, quando aparecem focos esporádicos da doença, a vacinação se torna obrigatória em 100% dos animais. Incluindo, a imunização dos demais existentes na propriedade, tais como cães, gatos, equídeos, suínos, caprinos e ovinos.

A vacinação em bovinos contra o botulismo também é feita em regiões onde haja sua ocorrência. Geralmente é indicado o uso de duas doses iniciais com quatro a seis semanas de intervalo e a seguir uma dose anual em todo o rebanho. 

Por último, as vacinas da IBR e da BVD acontecem aos três meses de idade, com reforço após quatro semanas e revacinação anual em dose única. Deve-se vacinar os animais em reprodução um mês antes do início da estação de monta.

Como realizar a vacinação em bovinos

Após um planejamento que envolve a compra das vacinas, a conservação, a estrutura do local e a aquisição das agulhas corretas, é hora de realizar a aplicação nos animais. O primeiro passo é uma boa contenção e imobilização do bovino. 

Com o animal preso e, preferencialmente, com uma pescoceira que evidencie a tábua ou lateral do pescoço, deve-se aplicar na via subcutânea ou intramuscular. A região da tábua do pescoço é sempre indicada para evitar danos na carcaça.

Após a aplicação, os cuidados continuam, principalmente no descarte para evitar chances de contaminação. Após o término do manejo de vacinação os animais devem ser reconduzidos, visando o menor estresse possível. 

Saiba lidar com todo tipo de situação na prática

Por melhor que seja o planejamento do pecuarista, situações emergenciais podem acontecer no rebanho. A melhor maneira de saber lidar é através do conhecimento prático. Faça o curso de primeiros socorros em bovinos e saiba cuidar do seu rebanho para além da vacinação. 

Fonte: Destaque Rural, Ouro Fino Saúde Animal e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.


 

Artigos

Bovinos

Destaques

Parceiros

Pecuária

Saude animal

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2021 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.