Doença da linha branca: conheça essa doença dos cascos de bovinos

Doença da linha branca conheça essa doença dos cascos de bovinosAs lesões que atingem os cascos dos bovinos estão entre os principais problemas enfrentados nos rebanhos brasileiros. Entre elas, uma é bastante conhecida entre os pecuaristas: a doença da linha branca. 

A linha branca é o tecido mais macio do casco e também uma importante região de apoio e distribuição do peso corporal. Ela é responsável por ligar o tecido resistente da muralha ao tecido menos resistente da sola do casco. Quando atingida, a enfermidade gera uma separação da sola e da parede da borda da mesma.

E como tratar? Ou melhor, como identificar a doença da linha branca em um bovino? Ao longo desta leitura traremos todas as informações referentes à lesão, como evitá-la e quais são os primeiros sinais clínicos. 

Formação da doença da linha branca e principais sinais clínicos

A doença da linha branca está associada à laminite, já que durante a laminite há uma redução da integridade do tecido córneo. Isso ocorre devido ao comprometimento da formação e desenvolvimento das células córneas (queratinócitos). As lesões da linha branca geralmente começam com pequenas fissuras, podendo avançar para lesões com grandes áreas necrosadas.

Quando há uma separação da sola e da parede da borda, o cório é infectado, formando abscessos na subsola. Em casos mais graves, essa enfermidade pode afetar as articulações do animal. 

Os sinais clínicos observados são claudicação, dor, dificuldade de levantar e acúmulo de pus abaixo da sola do casco. A forte dor e a dificuldade de locomoção do animal pode causar a “manqueira”, trazendo diversos prejuízos econômicos ao rebanho. As vacas leiteiras com problema para se locomover, por exemplo, podem até reduzir sua produção de leite por dia. 

Apesar de ser um grande problema para o rebanho, a doença da linha branca em bovinos tem tratamento específico, mas alguns outros devem ser feitos a longo prazo para evitar que a enfermidade surja novamente. 

Causas e tratamentos para a doença da linha branca 

Sem dúvidas, a doença é mais presente em bovinos confinados com higiene deficiente e animais que ficam em baixas úmidas. Todos os fatores que levam à má qualidade do casco nesta doença estão relacionados aos estábulos sujos, umidade, cimentação muito áspera, terreno em concreto, laminite e falta de um manejo nutricional adequado. 

Se o animal já está em situação dolorosa, recomenda-se o casqueamento e a limpeza do local acometido. Pode haver ainda, a necessidade de medicamentos, como antibióticos e anti-inflamatórios. Também é comum indicar o uso de bandagens para impedir maior contaminação. 

Ainda não existe uma única solução, mas o diagnóstico correto e, principalmente, a conscientização sobre os efeitos do piso e o manejo do animal, atuando de forma preventiva, ajudam significativamente no controle das afecções na sola dos cascos. Bem como na maioria dos males que atingem um rebanho, a prevenção é a melhor solução. 

Oferecer ambientes higienizados e sem umidade, fazer o diagnóstico precoce, separar o animal infectado dos demais, manter um controle na dieta nutricional e compreender que um casqueamento preventivo é fundamental para os bovinos, são as principais maneiras de evitar que a doença da linha branca atinja o seu rebanho. 

Se você está buscando como corrigir os defeitos mais comuns encontrados nos cascos e evitar prejuízos econômicos por falta de conhecimento, conheça o curso de casqueamento preventivo e correção de aprumos em bovinos e proteja o seu rebanho por completo. 

Fontes: Milkpoint, Expressão Animal. Prodap, Nupeec, CPT.

Áreas

Artigos

Destaques

Pecuária

Saude animal

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2021 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.