Como preparar o sêmen bovino para inseminação

Como preparar o sêmen bovino para inseminaçãoUma característica da pecuária atual para aumentar a produtividade é a genética. Trabalhar com sêmen bovino para inseminação requer um profissional qualificado, o que nem sempre é encontrado na mesma velocidade do mercado. Para se ter uma ideia, de 2018 para 2019, houve um aumento de 18% nas vendas do sêmen de boi. 

Um bom profissional precisa conhecer as técnicas de descongelamento, saber como deve ser feita a manipulação da dose de sêmen, manusear o botijão e acompanhar as frequentes mudanças tecnológicas. Se interessa por essa área que alavanca a agropecuária? Tenha mais entendimento sobre sêmen bovino para inseminação neste texto. 

Manipulação da dose de sêmen e a retirada da dose do botijão

O sucesso na fertilização é resultado da correta manipulação do sêmen, da qualidade dos espermatozóides (características físicas e morfológicas adequadas) e de inseminadores capacitados e qualificados. Fatores como coleta, diluidor, manuseio e temperatura podem comprometer a técnica. 

Diversos cuidados devem ser obedecidos durante o procedimento, começando pelo transporte do botijão. Ele jamais deve estar solto em carrocerias de veículos. Também é necessário o auxílio de outra pessoa, em qualquer que seja o movimento realizado, para que não haja dano na sua estrutura interna.

Os botijões para armazenamento de sêmen bovino para inseminação variam em termos de volume, mas todos estes equipamentos têm 6 canisters. É importante manter uma identificação dos touros na parte externa das canecas para facilitar a localização do sêmen e evitar que as canecas e as racks sejam levantadas várias vezes no momento da inseminação.

Durante a manipulação da dose de sêmen, a caneca deve ser exposta até no máximo 7 cm abaixo da boca do botijão. Além disso, as palhetas devem ser retiradas de dentro do botijão com o auxílio de uma pinça para evitar o contato com a mão. Vale ressaltar que um sêmen bem refrigerado eleva as taxas de prenhez em bovinos.

Como preparar o aplicador para realizar a inseminação em bovinos

Alguns instrumentos fazem parte da rotina do inseminador de bovinos. Entre eles, o aplicador. Um aplicador universal possui extremidades com diferentes diâmetros recomendados para a palheta média ou fina. 

As palhetas de sêmen refrigerado devem ser mantidas a uma temperatura de 5°C até o momento da sua utilização, sendo que quanto menor for o período de estocagem, melhor será o resultado de prenhez. 

Antes de aplicar o sêmen nas vacas, é preciso fazer o descongelamento do mesmo. A temperatura da água para esse processo deve estar entre 35 e 37ºC por 30 segundos. Utilize um termômetro para aferir a temperatura da água. 

Após enxugar a palheta e cortá-la, é a hora de encaixá-la na bainha e introduzir a cânula. Esta parte do aplicador envolverá a palheta e será envolvido pela bainha. Em seguida, trave a bainha na cânula e introduza o êmbolo no aplicador. Por fim, leve o aplicador para o local onde se encontra a vaca para iniciar a inseminação. É importante para o sucesso da inseminação que todos esses procedimentos sejam feitos vagarosamente.

Aumente o potencial genético do rebanho com a IATF

Investir no mercado de reprodução bovina pode render boa lucratividade. A Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) é, ainda, uma maneira de obter mais benefícios.  Se na sua fazenda já há estrutura física para atender a demanda de coleta e também o armazenamento do material, se tornar um especialista é o que falta para se destacar. Conheça o Curso de Inseminação Artificial e Estratégias de IATF em Bovinos e tenha um diferencial na sua propriedade! 


Fontes: Boi Saúde, Embrapa, Senar, Metal Cryo, Comunicado Técnico, Ouro Fino.

Artigos

Bovinos

Destaques

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2021 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.