Antibióticos para bovinos: o que você precisa saber?

Antibióticos para bovinos: o que você precisa saber?Os antibióticos para bovinos são substâncias químicas que atuam destruindo ou impedindo a multiplicação de bactérias, com o objetivo de combater possíveis infecções. Apesar de não serem tóxicos aos animais, a administração destes fármacos requer um bom conhecimento. 

Existem diversas opções de antibióticos para bovinos no mercado e suas classificações variam de acordo com suas estruturas químicas de base. Com tantas opções, o responsável pelos animais deve ficar atento aos riscos, tais como os efeitos colaterais. 

Ao longo deste artigo mostraremos como os antibióticos devem ser inseridos no manejo do rebanho, quais os cuidados e porque tê-los na sua propriedade é fundamental para a saúde dos animais. Boa leitura!

Como escolher o antibiótico ideal para seus bovinos

Normalmente, quanto maior e mais intensificada a produção, maiores também são os riscos de desenvolvimento e transmissão de doenças no rebanho. Como consequência, a necessidade do uso terapêutico de antibióticos para bovinos aumenta. 

Diversos fatores devem ser analisados na hora de administrar um antibiótico nos bovinos. O primeiro ponto é o espectro de ação do antibiótico, que corresponde às bactérias sensíveis à sua ação. O segundo é a sua difusão, ou seja, a sua capacidade de chegar ao local da infecção em quantidade suficiente. 

Visto isso, o criador deve pensar na dosagem. Cada tipo de criação tem sua especificidade, variando de acordo com o peso do animal e a doença que está sendo tratada. Um médico veterinário poderá auxiliar tanto no diagnóstico da enfermidade quanto na orientação medicamentosa. 

De maneira geral, os principais grupos de antibióticos para bovinos são: Penicilinas, inibidores de beta-lactamase, cefalosporinas; Quinolonas Carbapenems; Tetraciclinas; Monobactâmicos e outros, tais como sulfonamidas, rifamicinas, fosfomicina e metronidazol.

Principais cuidados na administração de antibióticos em bovinos

Além de auxiliar no tratamento de patologias comuns em rebanhos - mastite bovina, brucelose, tristeza parasitária, doenças do cascos, febre aftosa e etc - os antibióticos podem ser administrados para prevenir doenças, atuando na manutenção da saúde de um rebanho produtivo. 

Como contraponto, deve ser considerado que os antibióticos podem aumentar a susceptibilidade de animais à infecção pela supressão da flora normal, aumentando a chance de patógenos colonizarem o local e pela seleção de agentes resistentes. 

Bactérias também sofrem alterações genéticas com o tempo, tornando-se resistentes aos medicamentos que precisam ser trocados após um período de uso. Por isso, o uso descontrolado de medicamentos em animais de produção é uma preocupação no âmbito da saúde pública, pois além de poder contribuir para a criação de populações de bactérias mais resistentes, ele pode comprometer o tratamento de infecções em bovinos e em humanos. 

Outro cuidado importante é quanto aos resíduos de antibióticos. A administração via oral de antibióticos é responsável por 20% dos resíduos presentes na carne e no leite. Portanto, é preciso atenção com gados de corte e de leite. 

Antibióticos não podem faltar na farmácia da fazenda

Um pecuarista deve montar uma farmácia para primeiros socorros dos animais em sua fazenda e alguns medicamentos não podem ficar de fora desta lista, entre eles, os antibióticos para bovinos. Lembre-se que os socorros emergenciais ajudam a salvar vidas, mas que é preciso treinamento para o sucesso do procedimento. 

Seja capacitado para atuar em situações emergenciais com bovinos através dos aprendizados do Curso de Primeiros Socorros em Bovinos.  


Fontes: Embrapa, Virbac Portugal, Chemitec, Giro do Boi.

Artigos

Bovinos

Destaques

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2021 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.