Febre aftosa: o que é a doença e a importância da vacinação

A febre aftosa é uma doença infectocontagiosa aguda ou subaguda, altamente contagiosa e conhecida por gerar grandes prejuízos aos pecuaristas. A enfermidade desencadeia problemas na produção de carne e leite, logo afeta também a comercialização de seus produtos e subprodutos. 

 

Quando há casos registrados da doença em uma região, é comum acontecer o surgimento de barreiras comerciais, as quais acabam restringindo a exportação da carne. Por isso, os pecuaristas e criadores devem estar atentos aos sinais para identificar a doença, mas, principalmente, como preveni-la. Tem interesse no tema? Descubra tudo sobre a febre aftosa neste artigo. 

 

O que é a doença?

 

A febre aftosa é uma doença viral causada pelo vírus da família Picornaviridae do gênero Aphthovirus. Diferente do que a maioria das pessoas pensam, o vírus não acomete apenas bovinos e pode atacar também suínos, ovinos, bubalinos e outros mamíferos de casco fendido (bipartido).

 

A enfermidade chegou ao Brasil na década de 70 através de animais importados da Europa e, desde então, é uma grande preocupação nas fazendas brasileiras. A transmissão acontece quando há o contato com o vírus expelido pelo animal infectado ou em período de incubação. O contato pode ser tanto direto quanto indireto.

 

Ou seja, pode acontecer entre um animal infectado para um animal vulnerável, através da ingestão de água e alimentos contaminados e também através de gotículas expelidas pelos animais doentes. O ar expirado, as fezes e a urina, o leite, o sêmen e carne infectados com as mucosas das vias digestivas ou vias respiratórias do animal suscetível também são formas de transmissão.

 

Dependendo das condições climáticas, o vírus pode sobreviver em materiais contaminados e no ambiente durante muito tempo, o que pode acarretar em uma transmissão muito maior. 

 

Como identificar a febre aftosa na sua propriedade?

 

Os primeiros sinais clínicos da patologia, acontecem entre 02 a 14 dias do contato com o vírus e costumam ser silenciosos, com febre de 39,5 a 40,6ºC nos bovinos. Nos primeiros dias antes da manifestação das feridas os animais apresentam falta de apetite, calafrios, febre e redução da produtividade de leite.

 

Em seguida, os animais começam a apresentar vesículas (aftas), que estouram causando erosões e úlceras, na língua, gengiva, comissura labial, palato mole, narinas, focinho, espaço interdigital, coroa do casco e epitélio mamário. 

 

Após a manifestação das aftas, o animal não consegue se alimentar ou caminhar, apresentando manqueira e ficando prostrado e fraco. Ainda é comum ocorrer salivação excessiva por ptialismo. 

 

Formas de prevenção da enfermidade

 

A febre aftosa é uma doença que não tem tratamento, por isso é comum que todos os animais que são diagnosticados sejam sacrificados a fim de evitar a disseminação da doença. Sendo assim, quando um pecuarista suspeitar de um caso de aftosa, ele deve comunicá-lo rapidamente ao serviço veterinário para confirmação do diagnóstico e iniciar as medidas sanitárias adequadas. 

 

A melhor maneira de prevenir o rebanho é através da vacinação. A vacina atua como uma medida de controle da doença, pois é utilizada para desenvolver imunidade no rebanho e para dificultar a propagação do vírus no ambiente. A imunidade é conferida seis meses após as primeiras vacinações e o pecuarista deve estar sempre atento ao calendário de aplicação.

 

Além disso, outras formas de prevenir indicadas pelo Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa são: a implantação e fortalecimento das estruturas dos serviços veterinários oficiais e a implantação progressiva e manutenção de zonas livres de febre aftosa (regionalização).

 

Saiba agir nos primeiros socorros em bovinos 

 

Conhecer como realizar os procedimentos de primeiros socorros em bovinos é importante tanto para identificar sinais de anomalias no rebanho, como os sintomas da febre aftosa, quanto para vacinar os animais com segurança no período indicado. Aprenda como agir em situações emergenciais com bovinos e salve vidas para evitar prejuízos econômicos com o Curso de Primeiros Socorros em Bovinos! 

 

Fontes: Prodap, Secretaria de Defesa Agropecuária, Canal Rural, Brasil Escola. 

 

Artigos

Bovinos

Bovinos de Corte

Bovinos de Leite

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2022 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.