Como funciona a Irrigação por superfície?

A irrigação por superfície é um dos métodos mais antigos e está entre os mais utilizados até os dias de hoje. No Brasil, o método predomina nas regiões Nordeste e Sul. A principal característica deste tipo de irrigação é a aplicação de água diretamente sobre a superfície do solo da área a ser irrigada.

 

Todavia, caso o manejo não seja adotado corretamente, pode haver baixa eficiência na aplicação. Por isso, os produtores rurais que desejam fazer o seu uso, devem conhecer os parâmetros, indicações, vantagens e desvantagens. Saiba mais sobre irrigação por superfície e tire todas suas dúvidas ao longo deste artigo. 

 

Como funciona a irrigação por superfície

 

Primeiramente, deve-se saber que nessa técnica a distribuição da água se dá por gravidade através da superfície do solo, a partir de uma extremidade da cultura e cobrindo a área de forma gradual. Pelo efeito da gravidade, a água se movimenta e se infiltra no solo. Por esta razão, o método também é conhecido como irrigação por gravidade. 

 

Na irrigação por superfície, a água pode ser aplicada por meio dos seguintes sistemas: sulcos, faixas ou inundação. Cada um apresenta uma característica diferente. Na irrigação por sulcos, a água é aplicada em pequenos canais, infiltrando-se ao longo do perímetro molhado e movimentando-se nas direções vertical e lateral. 

 

Na faixa, o sistema pode ser construído em nível ou com gradiente longitudinal. Nesse caso, acontece a inundação total da área por condução da água na superfície do solo, por um tempo suficiente para aplicar a quantidade de água necessária à irrigação. Já na inundação, a água é aplicada em tabuleiros de forma contínua ou intermitente. Este sistema é tradicionalmente o mais utilizado. 

 

Dentre os componentes de um sistema de irrigação por superfície, destacam-se as fontes hídricas, as estruturas de condução, de medição, de controle e de derivação da água, as parcelas irrigadas e as estruturas de drenagem do excesso de água.

 

Vantagens e desvantagens do método

 

Na maioria dos casos, esta técnica apresenta menor custo de implantação em relação aos demais métodos de irrigação. Além disso, outras vantagens são a simplicidade operacional, o baixo consumo de energia elétrica e a água de baixa qualidade, não sofrer interferência dos ventos e nem interferir nos tratos culturais e a boa adaptabilidade a várias culturas, principalmente o arroz. 

 

Um dos principais problemas da irrigação por superfície é a baixa eficiência de aplicação, traduzida nos valores de perdas de água por escoamento superficial e percolação, na maioria das vezes superior a 40%. Por isso, são frequentemente necessárias reavaliações de campo para manter a eficiência de aplicação. 

 

Indicações do sistema de irrigação por superfície

 

Este método é mais adequado para solos que apresentam baixa velocidade de infiltração e terrenos com topografia plana ou com pequenas declividades. Para um bom desempenho do sistema, a superfície do terreno a ser irrigada deve ser uniforme e, na maioria das vezes, necessita de serviços de terraplenagem. A técnica não é recomendada para solos extremamente permeáveis. 

 

É importante que o produtor avalie qual deve ser o melhor método de irrigação, considerando a cultura, o clima e o solo, antes de implantar o sistema. O desempenho de qualquer método de irrigação depende basicamente do dimensionamento e da operação. Ou seja, de conhecimento por parte do produtor ou técnico agrônomo. 

 

Quer aprender a estabelecer o plano de irrigação adequado para cada tipo de cultura irrigada, reduzindo custos e aumentando a rentabilidade da sua plantação? Saiba como o Curso de Manejo de Sistemas de Irrigação do CPT Cursos Presenciais pode te capacitar na prática!

 

Fontes: Coleção Senar, Irrigação por superfície, Cursos CPT. 

 

Agricultura

Artigos

Irrigação

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2022 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.