Plantio de trigo no cerrado pode baratear preço do pão francês

Graças a variedades resistentes, hoje, é possível plantar trigo no cerrado. A produção do trigo no Cerrado pode ser a  solução para a diminuição do preço do pão francês. Com alta produtividade e qualidade, a região reúne características que podem contribuir para ampliar sua participação no mercado do grão, no país. "Há tecnologias e cultivares disponíveis, e as condições climáticas são extremamente favoráveis", explica o pesquisador Júlio César Albrecht, da Embrapa Cerrados, Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Na região, atualmente, as lavouras de trigo estão em fase de espigamento. Em meados de agosto, começa a colheita, que deve prosseguir até final de setembro - ainda na entressafra das principais regiões tritícolas, o que garante maior remuneração aos produtores. Albrecht explica que, como estão bem conduzidas e sofrem baixa pressão de doenças, elas podem alcançar uma produtividade de sete toneladas por hectare - bem acima dos 2,4 da média nacional.

Somado à boa produtividade, o trigo produzido na região é todo de alta qualidade, comparável ao das melhores regiões produtoras, como o Canadá. Todas as variedades plantadas no Cerrado são de trigo pão e melhorador, conforme a demanda da indústria moageira.

"No Brasil, o trigo de melhor qualidade industrial é o do Cerrado, em função de sua alta força de glúten e estabilidade", explica o pesquisador.

Nesta época do ano, as condições climáticas também favorecem o desenvolvimento das plantas de trigo, devido ao tempo frio e a umidade baixa. Como é produzido sob irrigação, o manejo da água é controlado. Uma das vantagens, por exemplo, é a ausência de chuvas na época da colheita, o que favorece a qualidade do produto.

Atualmente, há cerca de cinquenta mil hectares de plantação de trigo na região do Cerrado, que responde por menos de 5% da produção nacional. Albrecht explica, no entanto, que há um potencial para se plantar 1,5 milhão de hectares de trigo irrigado e 3,0 milhões de hectares de trigo sem irrigação.

Para fornecer o subsídio técnico para a produção de trigo na região, a Embrapa Cerrados mantém, há 36 anos, um trabalho de pesquisa com o produto. Como resultado disso, as cultivares lançadas há quatro anos predominaram em 90% das lavouras na última safra.

Em 2010, a Embrapa aprovou um projeto de expansão da pesquisa com trigo no Brasil Central, para atender  as demandas do setor produtivo. Dentro do programa de triticultura no Cerrado brasileiro, está sendo instalada uma estação experimental, em Uberaba (MG), com equipe própria para atuar como suporte às ações de pesquisa e de transferência de tecnologias na região. Inicialmente as principais pesquisas serão desenvolvidas com trigo de sequeiro (sem irrigação).

 

 

Fonte: Sou Agro e Embrapa Adaptação: Revista Agropecuária  

Conheça o Curso de Irrigação e Manejo de Pastagens

    Veja outras publicações da Reveista Agropecuária: Nova cultivar de arroz, resistente a praga do arroz vermelho, chega no mercado no mês de agosto Bicudo-do-algodoeiro - o terror dos produtores de algodão Alimentos, em plena safra, são mais baratos e nutritivos    

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

Digite seu e-mail: 

Agricultura

Artigos

Destaques

Notícias

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.