Presença da atividade pecuária na Amazônia legal desmatada

O percentual de ocupação das áreas desmatadas na Amazônia Legal, pela pecuária, é de quase setenta por cento, segundo dados do Governo Federal.

Este é um problema antigo, que atinge um dos principais biomas brasileiros há décadas.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) mostram que quase 35 mil quilômetros quadrados foram ocupados pela agricultura anual, em áreas desflorestadas da Amazônia Legal, até o ano de 2008. O estado campeão é o Mato Grosso, com mais de oitenta e cinco por cento de ocupação das áreas desmatadas do bioma.

Nesta área, foram identificados, aproximadamente, 335 mil quilômetros quadrados de pasto limpo e mapeados uma média de 63 mil quilômetros quadrados de pasto sujo, ambos com a presença da pecuária.

O projeto TerraClass, que teve como objetivo realizar a qualificação, a partir de imagens orbitais, das áreas já desflorestadas da Amazônia Legal, identificou 160 mil quilômetros quadrados de matas secundárias ou ainda intactas, com grande potencial de recuperação das áreas ao seu redor.

Os dados são fundamentais, pois de acordo com especialistas, apenas assim, o governo pode definir estratégias e ações de preservação mais eficazes, além de definir as áreas com potencial sustentável.

 

 

 

 

Fonte: G1

Adaptação: Revista Agropecuária

     

Conheça o Curso de Integração Lavoura-Pecuária-Floresta (Sistema Barreirão)

 

 

 

Veja outras  publicações na Revista Agropecuária: Ausência de reforma de pasto pode ser um problema durante o inverno Novos meios de combater a ferrugem em palma Professor fala sobre benefícios da integração Lavoura-pecuária e do plantio direto      

Quer ficar informado? Cadastre-se e receba nossas novidades diariamente!

 

Digite seu e-mail:

Floresta

Notícias

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.