Ambiente e alimentação são fundamentais para produção de gado de leite!

A criação de gado de leite é uma das mais antigas desenvolvidas no Brasil, e possui grande representatividade. Apesar de ainda ter muito a melhorar, a pecuária passou por grandes transformações. O leite faz parte dos seis produtos mais importantes da agropecuária brasileira. E mais, de acordo com dados recentes da Conab, o Brasil produz cerca de 7% do leite produzido no mundo. 

Obter sucesso na atividade não é tarefa fácil, depende de grandes esforços e atenção especial a um conjunto de fatores. Já não se admite mais sistemas de criação que não são encarados de maneira empresarial. Afinal, a pecuária é uma importante geradora de emprego e renda para diversas famílias. Nesse contexto, fatores como adequação das instalações e cuidados com a nutrição, se destacam. Afinal, tudo pode ir por água abaixo quando estes critérios não são acompanhados.

Se prepare para leitura, ao longo deste artigo você encontrará informações valiosas! 

As instalações foram planejadas? 

Antes da etapa de elaboração do projeto das instalações para gado de leite é preciso escolher o sistema de produção mais adequado para a propriedade. Seja ele extensivo ou intensivo. Em seguida, para planejar a estrutura física é preciso considerar alguns pontos. Os principais são:

A área disponível ;

O dimensionamento do rebanho;

A perspectiva de crescimento.

A partir destes dados será possível dimensionar com maior segurança às instalações e benfeitorias. Nesta segunda etapa é preciso se atentar ao conforto dos animais, pois só assim eles serão capazes de expressar todo o seu potencial genético. Além disso, se torna mais fácil otimizar o uso da mão-de-obra e das máquinas. De forma resumida, os seguintes aspectos precisam constar no planejamento das instalações:

  • Acesso ao local;

  • Ventilação adequada;

  • Manejo da temperatura;

  • Luminosidade e umidade;

  • Posicionamento na propriedade.

Instalações aliada ao manejo nutricional 

Quando os pecuaristas que trabalham com gado de leite são questionados sobre suas maiores ambições, as respostas são quase unânimes. Todos querem ter um rebanho altamente eficiente. Isso significa alta produtividade associada a baixo custo de produção. Para alcançar esta combinação perfeita, é preciso ir muito além do investimento em tecnologias e equipamentos de ponta. É preciso dar atenção especial para o bem-estar do animal. 

Dentro deste contexto, o manejo adotado na propriedade vai interferir diretamente no projeto global das instalações. Falhas na estrutura podem comprometer seriamente o desempenho dos animais e a atividade como um todo. No caso de animais criados no sistema de confinamento, os pisos precisam estar em boas condições. Acúmulo de umidade e desejos podem causar doenças, em especial nos cascos. 

O tamanho do espaço físico onde os animais convivem também precisa de atenção, o ideal é adotar uma densidade que fica entre 10 a 12 cabeças por metro quadrado. Não ultrapassando 120 cabeças por metro quadrado. Com relação aos currais de manejo, sua localização deve facilitar o acesso dos animais. Resumidamente, as instalações para gado de leite devem proporcionar: 

  • Um ambiente saudável para as vacas;

  • Boas condições de trabalho para o ordenhador;

  • Adoção dos códigos sanitários vigentes;

  • Otimizar os insumos;

  • Ser economicamente viável;

Treinamento da equipe 

Ter uma propriedade com as instalações adequadas já é um bom passo para o sucesso. Porém, de nada adianta se a equipe de manejo conduz o gado de maneira inadequada. Manejar o gado de leite de forma agressiva pode causar contusões nos animais e estresse excessivo. Com isso, há redução no ganho de peso, na performance reprodutiva e principalmente na qualidade da carne. 

Manejar o gado pode se tornar um risco, por isso uma equipe bem treinada garante a sua segurança e também dos animais. Desde o nascimento o manejo aplicado deve ser adequado e, a primeira experiência com o curral o mais tranquila possível. Os bovinos se adaptam muito bem a rotina e na maioria dos casos, sofrem com as alterações na rotina e no manejo diário. 

Planejou as instalações? É hora de falar sobre a alimentação! 

A nutrição do gado de leite envolve uma série de fatores, o primeiro deles é a regularidade no fornecimento de alimentos. Estes devem ser fornecidos sempre no mesmo horário, evitando alterações mesmo no horário de verão. Não existe uma receita geral para o manejo nutricional das vacas, para obter bons resultados é preciso observar cada uma das fases do ciclo lactacional. 

A expressão sombra e água fresca também se aplica na pecuárias, o líquido é considerado um importante nutriente para a vaca leiteira. Interfere diretamente sobre processos fisiológicos e na produção de leite. Para calcular o volume total de água consumida pelos animais, é preciso levar em consideração a parcela contida nos alimentos, junto com a consumida de maneira espontânea. 

Dentro do planejamento das instalações, os bebedouros devem ser fáceis de higienizar, e possibilitar que os animais consigam acessar facilmente. Além disso, a água fornecida precisa estar em condições adequadas e serem renovadas constantemente. 

Viu só como como as instalações e o manejo nutricional do gado de leite estão diretamente relacionados? Agora, se você trabalha com gado de leite, a outra pergunta que te faço é: Sua produção tem sido tão rentável o quanto deveria? 

Nos cursos de gado de leite do nosso parceiro CPT Cursos Presenciais, você vai aprender na prática sobre os fatores de sucessos para criação. Incluindo o manejo nutricional e a administração da atividade. Clique no banner abaixo e confira mais informações. 

Fonte: Embrapa, Compre Rural  e Prodap 

Áreas

Artigos

Bovinos de Leite

Destaques

Mecanização

Notícias

Parceiros

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.