Pecuária de corte: Como obter a tão sonhada lucratividade?

pecuária de cortePecuária de corte lucrativa é resultado da composição de vários fatores, e o segredo é estar com todos eles bem alinhados. Não é novidade que o Brasil possui o maior rebanho comercial bovino do mundo. Além disso, a atividade tem grande importância na geração de divisas para o país.

Porém, a cadeia de produção ainda enfrenta muitos desafios, e existe uma disparidade muito grande entre os pecuaristas, com isso muitos acabam migrando para outras atividades.

E não são poucas né? Muitos produtores ficam confusos na hora de gerenciar os recursos da propriedade, optar pelo sistema de produção, e o manejo alimentar nem se fala. É comum que isso aconteça, afinal à pecuária de corte de hoje não é a mesma de tempos atrás, mudou muito.  

Os gargalos encontrados vão muito além da porteira, eles são identificados em todos os elos da cadeia, incluindo o mercado. Mas, fique tranquilo! Nosso objetivo com este artigo é trazer conteúdo relevante que te possibilite ganhar mais dinheiro com a pecuária de corte.

Sistemas de produção de gado de corte

Existem, basicamente, três sistemas de produção de gado de corte. Abaixo listamos quais são, confira: 

Pecuária extensiva

Nesse sistema predomina o uso dos nutrientes do pasto como suprimento para os animais. Assim, o gado é criado solto, e é realizado ,como forma de suplementação, o fornecimento de sal comum e sal mineral aos bovinos. 90% da produção nacional está inserida dentro desta modalidade (extensiva).

Pecuária intensiva 

É um sistema mais moderno, o rebanho é criado em uma pequena área, e é utilizado técnicas mais avançadas com a finalidade de elevar a produtividade. Investindo em técnicas de melhoramento genético e inseminação artificial mais modernas.

Uma das principais características desse modelo é a criação dos animais em sistema de confinamento. Onde possibilita um maior controle do rebanho e menor exigência de disponibilidade de terras. Além disso, é realizado um melhor controle da alimentação e principalmente da ocorrência de doenças no rebanho.

Pecuária semi-intensiva

Esse sistema está no meio termo entre a pecuária intensiva e a extensiva. Mesmo não tendo um padrão específico, algumas características são observadas. O rebanho é criado solto, mas é fornecido alguns cuidados especiais em relação à seleção e o aprimoramento do rebanho. A alimentação ainda é baseada nos pastos, entretanto é associada ao fornecimento de suplementos minerais. 

Fases da criação da pecuária de corte

Os sistemas de produção da pecuária de corte praticados no Brasil são a cria, recria e a engorda. E mais, é possível trabalhar com eles de forma isolada ou combinada. Para falar deste assunto é preciso começar desde o início, neste caso sobre o sistema de criação dos bezerros. Entenda melhor cada uma das fases do sistema de produção:

Cria:

É a parte da pecuária que trata da reprodução, é o plantel de crias que irá gerar os bezerros. Assim, a atividade de cria é considerada a base da pecuária de corte, pois sem a produção de bezerros é impossível haver produção de carnes. Porém, esta é a fase de menor rentabilidade, com isso, os criadores costumam destinar as piores áreas de sua propriedade para o rebanho de cria. Na maioria dos casos o produtor sabe fazer uma boa engorda, mas dá pouca atenção para a cria. O que é considerado um erro, pois a cria é a atividade pecuária que exige maiores esforços, e as próximas fases são totalmente dependentes desta primeira.

Recria:

A recria começa no desmame, e o ideal é que ela seja mais curta iniciando entre seis e sete meses e costuma terminar aos 18 meses de idade. Considerado por muitos como o período de maior importância para o desenvolvimento animal. Nesta fase, os bezerros estão jovens e conseguem em apenas sete meses atingir cerca de 30% a 50% do seu peso final para abate. Então, significa dizer que os bezerros mais novos apresentam melhores taxas de conversão alimentar. Assim, é preciso explorar o máximo da eficiência do animal nesta fase. Existem sistemas de suplementação específicos para a fase de cria, onde é feita prioritariamente nos períodos pré e pós desmama.

Engorda:

Também conhecida como a fase de terminação, na engorda a principal preocupação é fazer com que o animal atinja maior peso e acabamento da carcaça. Decerto, ocorre maior agregação de valor do trabalho desenvolvido nas fases de cria e recria. O fato é que os animais que se encontram neste período, não possuem um crescimento tão eficiente quanto nas duas fases anteriores.

Raças de gado de corte predominantes no Brasil                                                                         

Abaixo destacamos algumas das principais raças de gado de corte que fazem parte do rebanho brasileiro:

Nelore

Origem indiana, sendo a raça de bovinos de corte que predomina no Brasil. Possui ótima adaptação às regiões mais quentes do país. Além disso, apresenta grande resistência a restrições alimentares.

Angus

O Angus é de origem europeia. Produz carnes com ótima maciez e sabor. Possui alta fertilidade e precocidade,uma vez que atingem a puberdade e o estado de abate mais cedo.

Brahman

Origem dos Estados Unidos, surgiu do cruzamento entre as principais raças zebuínas. Apresenta fácil adaptação e é uma ótima raça para cruzamento industrial.

Brangus

A raça é resultado do cruzamento entre do Brahman e Angus. Possui habilidade materna, precocidade sexual, excelente marmorização e fácil adaptação. 

Tabapuã

É conhecido como “zebu brasileiro”, o Tabapuã surgiu ao cruzar Zebuínos, Nelore, Gir e Guzerá. Algumas das suas principais características da raça é à docilidade e fácil fertilização. Mesmo, se forem criados no pasto ou em confinamentos, esses bovinos de corte têm um ganho de peso bom.

Senepol

De origem africana, possuem uma capacidade alta de transformar o pasto em carne, possibilitando que o animal fique pronto pro abate mais rápido. Ou seja, apresenta maturação de peso e carcaça frigorífica com idades bem mais precoces.

Hereford

Raça de origem da Inglaterra, possui boa fertilidade, rusticidade, eficiência alimentar, longevidade e adaptabilidade.

Pastagem para uma pecuária de corte lucrativa

Depois de feito um bom planejamento da pecuária é hora de optar pela pastagem certa. Aliás, significa dizer que a planta deve ser adequada às condições climáticas da região e principalmente atender as exigências nutricionais dos animais. Esta é uma etapa muito importante, e a escolha irá depender do objetivo do sistema de produção adotado pelo produtor. Depende ainda, de quanto está disposto a investir no seu rebanho e na propriedade. É preciso conhecer bem as técnicas de manejo, adubação e irrigação de pastagens.

Boa parte do potencial produtivo da planta é expressa na safra, período em que o volume de chuvas é maior. Porém, é no período da seca que o produtor se desespera, pois com a baixa umidade do solo ocorre uma queda na disponibilidade da pastagem. E a principal pergunta feita é: Como vou melhorar o meu pasto na época de seca?

Agora vem a boa notícia, manejar adequadamente o pasto no período chuvoso possibilita ao produtor ter um pouco mais de tranquilidade nessa fase tão crítica. Porém, é preciso aplicar as técnicas corretas de manejo do capim possibilitando o desenvolvimento adequado do sistema radicular da planta. É preciso que o pecuarista seja também um pouco agricultor, afinal de contas a pastagem é uma lavoura. Confira a seleção com as principais dicas sobre o assunto:

  1. A forrageira deve atender às necessidades nutricionais dos animais;

  2. Os bovinos gostam de plantas com poucas folhas e muitos colmos;

  3. Devem ser adequadas às condições climáticas da sua região;

  4. Algumas gramíneas são mais tolerantes a seca;

  5. Cuidados especiais na época das águas proporcionam estrutura radicular para a planta;

  6. O solo deve estar muito bem preparado para receber a semente. 

Alguns produtores optam por trabalhar com o sistema de pastejo rotacionado, onde as áreas são divididas em piquetes. A partir da divisão é possível proporcionar descanso para a pastagem e obter maior eficiência do pasto, uma vez que, ocorrem maior controle e uniformização da desfolhagem da pastagem. Porém, é preciso que você conheça muito bem sobre o assunto, para que então possa optar pela técnica mais adequada para a sua propriedade.

Instalações para gado de corte

Optar pela instalação adequada, possibilita ao produtor obter maior eficiência do sistema de produção. Então, como consequência, uma pecuária de corte lucrativa. Para isso, é uma questão de sobrevivência adequar às instalações da propriedade focando no bem-estar do animal. Atualmente, no Brasil, existe uma discrepância muito grande entre os sistemas adotados pelos produtores de gado de corte. Existem propriedades onde o nível tecnológico empregado é muito alto, e em outras, muito baixo. Não existe um padrão certo, o recomendado é aquela instalação que apresenta tecnologia e ao mesmo tempo economia na exploração. O ideal é que elas apresentem:

  • Maior durabilidade;

  • Menores custos de manutenção para o produtor;

  • Maior segurança e conforto para quem trabalha e para o animal;

  • Maior facilidade de manejo do gado.

Já parou para pensar no quanto uma instalação mal planejada impacta nos rendimentos do seu rebanho? Uma cerca feita de forma errada deixa os animais escaparem, influenciando no manejo e prejudicando a rotina da fazenda. Uma divisória de curral mal planejada, não suporta o esbarrão de um bovino e acaba caindo, além disso, pode gerar lesões nos animais. Agora imagine um troco com peças de metais soltas que acabam ferindo os bovinos, gerando danos ao couro e a carne. São muitos detalhes né? Mas fique calmo, instalações é algo fácil de ser conduzido desde que planejado com bastante eficiência.

Nutrição de gado de corte

A alimentação dos bovinos representa grande parte dos custos de produção, realizar um bom manejo nutricional do rebanho possibilita maiores ganhos em vários sentidos. Para ter uma ideia, além do ganho de peso do animal, ocorrem melhorias nas taxas reprodutivas.

Ou seja, manejo nutricional bem feito é uma das causas para uma pecuária de corte lucrativa. As dietas balanceadas possibilitam explorar ao máximo o potencial que cada animal possui na sua base genética.

No caso da pecuária de corte, é preciso formar pastagens de qualidade e que atendam às diversas necessidades nutricionais dos animais. Juntamente com a suplementação mineral adequada para os mesmos. No momento de planejar o manejo nutricional do gado de corte é preciso se atentar a alguns fatores, entre eles:

  • Custo dos alimentos;

  • Necessidade nutricional de cada animal;

  • Velocidade de ganho de peso desejada;

  • Disponibilidade dos alimentos para os animais;

  • Possíveis combinações que possam levar a resultados positivos.

É a partir da combinação desses fatores que os animais poderão ganhar mais peso e expressar todo o seu potencial genético, objetivando o seu desenvolvimento e reprodução. Existem diferentes sistemas de alimentação, como por exemplo o creep feeding, procure conhecer bem sobre cada um deles, assim a sua escolha será mais acertada.

Manejo de gado de corte

O manejo é compreendido como a forma com que os produtores e seus funcionários lidam com os animais. E está diretamente relacionado com as instalações, pois estas serão capazes de auxiliar no bem-estar dos bovinos. Em primeiro lugar, o manejo adequado deve ocorrer naturalmente no dia-a-dia da propriedade e está diretamente relacionado com a saúde, e desempenho produtivo dos animais.

Ele envolve todas as fases, desde os bezerros até o momento do abate. Outro ponto importante é que os consumidores estão cada vez mais preocupados em comprar carne certificada, e isso implica em acompanhar todo o processo pelo qual aquele animal passou. Fique atento as principais dicas que vão te ajudar a melhorar o manejo do seu gado de corte:

  • Proporcione instalações adequadas para o animal;

  • Alimente o gado de forma correta, evitando deixá-lo com fome e sede;

  • Mantenha a sua equipe sempre bem treinada em relação às práticas de manejo;

  • Planeje bem o transporte dos bovinos, de preferência em horários mais frescos do dia.

No Brasil, ocorre o descarte de milhões de quilogramas de carne bovina por ano em função das contusões nas carcaças. A saber, 40% dessas contusões ocorrem durante o manejo do animal na fazenda. Agora imagine os prejuízos que podem ser evitados por meio de um treinamento adequado fornecido para quem trabalha com você. Vale muito mais a pena fazer bem feito.

Um sistema que vem sendo muito utilizado nos últimos anos e que inclui a preocupação com o bem-estar animal, é o sistema de integração lavoura-pecuária-floresta.

Melhoramento genético

A pecuária de corte brasileira tem evoluído, e os avanços foram possíveis graças às pesquisas desenvolvidas em diferentes instituições. Para obter o máximo do potencial do rebanho, é preciso ter atenção constante com a genética e o melhoramento do rebanho. O primeiro passo é ter muito claro os objetivos, e as características que se deseja melhorar no rebanho. Assim, será possível optar pelo melhor programa, a seleção irá indicar as características desejadas pelo produtor. As principais técnicas de seleção são:

  • Pelo desempenho;

  • Pela família;

  • Pelo pedigree;

  • Pela progênie; 

  • Pelo valor fenótipo individual.

Agora entenda as principais características que você deve considerar na seleção do gado de corte, objetivando uma pecuária de corte lucrativa:

  • Ganho de peso no período de aleitamento;

  • Ganho em peso no período pós-desmama;

  • Conversão alimentar;

  • Precocidade reprodutiva;

  • Habilidade materna;

  • Ausência de defeitos hereditários;

  • Longevidade produtiva.

O melhoramento genético através do cruzamento de raças zebuínas ainda demanda muitas pesquisas. Porém, é incontestável o aumento da produção proporcionado por esta técnica. Já o melhoramento genético realizado por meio da inseminação artificial, proporciona aos criadores acesso a genética dos melhores reprodutores. Uma boa inseminação artificial proporciona melhoria em diversas áreas, inclusive no controle de doenças.

Pecuária de corte lucrativa demanda planejamento

A pecuária de corte lucrativa tem como uma de suas causas o bom planejamento da atividade. Você considera que tem feito bem a gestão de seus recursos?  É natural que muitos produtores ainda tenham dificuldade de enxergar a importância de se planejar.Desse modo, acabam deixando de fora aspectos como a depreciação de suas as instalações e o custo de oportunidade da mão de obra.

É fundamental ter os custos de produção muito bem definidos, assim será possível dimensionar a sua margem de lucro. Afinal, a fazenda é uma empresa e você precisa conhecer bem as suas despesas e lucros para realizar uma boa gestão da propriedade. Pontos que devem ser identificados:

  • Identifique nichos de mercado que proporcionem melhores remunerações;

  • Defina ações gerais a serem adotadas dentro e fora da porteira;

  • Escolha a raça adequada e dimensione bem o rebanho;

  • Instalações bem planejadas são fundamentais;

  • Dimensione a capacidade de produção da sua propriedade.

Continue acompanhando até o final desse artigo, trouxemos mais dicas importantes sobre a criação de gado de corte.

Agregação de valor

Com o aumento da oferta de produtos os consumidores se tornaram cada vez mais exigentes, e buscam por produtos personalizados e que sejam produzidos sobre condições adequadas. É preciso ter melhoria contínua dos produtos, o que pode ser alcançado através de um planejamento pecuário de médio e longo prazo. Devem ser pensadas ações de marketing, porém não se esqueça de que a agregação de valor é possível a partir da colocação em prática das melhorias identificadas para o produto. Assim, você poderá adotar estratégias específicas para o seu rebanho. Alguns fatores favorecem o reconhecimento por parte dos consumidores, listamos alguns:

  • Padronização das carcaças;

  • Regularidade no fornecimento do produto;

  • Instalações que favoreçam o bem estar animal;

  • Priorização das técnicas de manejo adequado.

Um dos mercados que está em alta no Brasil é o de carnes gourmet, são carnes com sistema de certificação. Ou seja, quem está comprando o seu produto consegue acompanhar todas as fases pelas quais aquele animal passou. Apesar da demanda ser crescente, falta oferta no mercado. E você, está preparado para atendê-la? Não se esqueça de que muitas pessoas reduzem o número de vezes que consomem carne para poder consumir uma carne de qualidade superior.

Qualificação constante

Não existe uma receita geral para tornar a criação mais lucrativa, assim como em qualquer atividade, na pecuária de corte é fundamental buscar constantemente por conhecimento e capacitação. Além de você fazendeiro, é preciso que todos os funcionários estejam muito bem alinhados.  Quanto maior for a sua propriedade, maior será a demanda por mão-de-obra.

Ah! Falando em capacitação, estão abertas as inscrições para a 16° colônia de férias do CPT Cursos Presenciais. A maior e melhor da América Latina, você contará com os melhores especialistas na área de Medicina Veterinária e Agropecuária. Com certeza, muitos cursos serão os dos seus sonhos. Clique no banner abaixo e conheça os cursos oferecidos!

Que tal um super guia prático gratuito que vai te ensinar passo a passo para lucrar mais com a sua criação de gado de corte? Clique no link abaixo e confira! 

 

GUIA GRATUITO DE GADO DE CORTE

 

Para finalizar com chave de ouro, separamos pra você alguns conteúdos, para agregar ainda mais conhecimento. Confira eles abaixo:

 

Fonte: Giro do boi, Nutratta, BeefPoint e Agron

 

 

Bovinos de Corte

Destaques

Economia Rural

Mecanização

Pastagens

Pecuária

Tecnologia

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.