Alguns passos do plantio de café

Na escolha do local para o plantio do grão, devem ser evitados terrenos sujeitos a ação dos ventos frios, porque são prejudiciais ao cafeeiro; locais que tenha tido cafezais há menos de 5 anos, porque essa condição poderá favorecer o aparecimento de pragas e moléstias no novo cafezal principalmente os nematóides; baixadas úmidas; áreas geográficas com terrenos muito dificultosos, solos rasos, pedregosos ou muito cheios de erosão.

Quanto ao sistema de plantio, para a maioria das regiões cafeeiras de São Paulo, o mais recomendado de modo geral é o de livre crescimento, no qual o espaço básico indicado é o de 4 x 2,5m, para as variedades Mundo Novo e Bourbon Amarelo, podendo-se realizar pequenas alterações na distancia para mais ou menos em função de condições locais e dos tratos a serem dispensados ao cafezal. O número de mudas por cova deverá ser de 2 a 3, sempre dispostas no sentido das linhas e mantendo entre si uma distancia de 20 a 25 cm.

Esse sistema proporciona uma maior produção por áreas especialmente nos primeiros anos, além de favorecer a operação da colheita quando ela é feita através do escorregamento firme das mãos pelos galhos ou em cereja. No entanto, por ser um sistema mais intensivo é indispensável uma assistência mais efetiva do técnico.

Quanto às variedades de café, o Mundo Novo apresenta como características a rusticidade, o vigor e elevado potencial de produção. Os seus frutos são de tamanho médio ou graúdo. O Bourbon Vermelho apresenta pouco interesse para a formação de novas lavouras. O seu porte e a sua capacidade produtiva são menores que no Mundo Novo. O Bourbon Amarelo apresenta frutos amarelos, porte, vigor e produção superior ao Bourbon Vermelho.  A sua maturação é mais precoce que a do café Mundo Novo, o que em regiões mais frias é vantojoso, porque possibilita o início da colheita mais cedo.

Quanto ao local do viveiro para a formação das mudas, esse deve: apresentar boa topografia que facilite as inspeções e a saída de mudas e a irrigação, não possuir umidade excessiva e estar fora da região de influência das enxurradas e trânsito que provenham de lavouras já instaladas.

A irrigação das mudas deve ser feita evitando o encharcamento e ou a falta d'água nelas. O controle da moléstia chamada tombamento das mudas pode ser feito preventivamente, pulverizando-se um fungicida adequado.

Considerando que os prejuízos causados pela má conservação do solo afetam diretamente o cafeicultor, podendo comprometer irremediavelmente o sucesso de seu empreendimento, a primeira providência na instalação de um cafezal seria a de localizá-lo em terrenos capazes de suportá-lo com segurança, mediante o emprego de práticas conservacionistas simples e relativamente pouco dispendiosas.

O preparo do terreno, para o plantio de café, dependerá do uso anterior do solo. Assim, se o solo tiver sido cultivado com culturas anualmente, bastará uma aração e gradagem. Em locais de pastagem ou em solos compactos, para se descompactar o solo poderá ser necessário mais de uma aração e gradagem ou até uma subsolação. Em terreno de derrubadas, de mata natural ou floresta artificial, é dispensável a aração, bastando uma limpeza e coveamento.

Antes de iniciar o preparo, é aconselhável providenciar a análise do solo, para que as adubações sejam feitas mais correta e economicamente.

Quanto ao preparo das covas, normalmente a abertura das covas para o plantio é feita com o auxílio de enxadões. Pode-se, entretanto, sulcar o terreno no espaçamento desejado com um sulcador do tipo usado para o plantio de cana. Esses sulcos, assim abertos, são de espaço em espaço, aprofundados e "acertados" com enxadões, transformando-se em covas. O plantio deverá ser efetuado durante os meses de chuva, com o solo úmido. Deve-se dar preferência para o plantio nos dias encobertos ou com chuviscos leves.

Mesmo antes e depois do plantio, a adubação deve ser baseada na análise do solo e no estado geral da lavoura. Assim é necessária a presença do técnico, que com base nesses elementos poderá indicar a adubação mais adequada para cada caso especifico.

Fonte: Agromundo Adaptação: Revista Agropecuária  

 

Conheça o Curso de Irrigação e Manejo de Pastagens!

        Veja outras publicações da Revista Agropecuária: Confinar 2012 esclarece dúvidas sobre a pecuária e quebra mitos sobre a emissão de metano Qualidade de pastagens no Brasil sofre redução Técnicas simples fazem da Paraíba líder na produção de leite de cabras  

 

Agricultura

Áreas

Café

Curiosidades

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.