Engorda a pasto: conheça esse sistema para gado de corte

Engorda a pasto - conheça esse sistema para gado de corteNo Brasil, a pecuária de corte atinge índices de excelência na produção. Grande parte desses resultados vêm graças ao sistema de engorda a pasto. A engorda, ou fase de terminação, é o momento da criação em que o principal objetivo é fazer o animal ganhar peso. 

Pensando no sistema de engorda a pasto, é importante destacar, primeiramente, que mesmo precisando de menos equipamentos, ela não exige menos conhecimentos. Isso quer dizer que, para que se obtenha o melhor resultado a nutrição do rebanho precisa estar muito bem pensada. Assim é possível oferecer a suplementação correta, oferecendo ao rebanho um manejo nutricional eficiente. 

Assim, neste artigo vamos entender o que afeta o sistema de engorda a pasto e quando aplicá-lo ao seu rebanho de corte. Confira!

O que influencia a engorda a pasto?

Pensando que nesse sistema, o gado fica no pasto durante a fase de terminação, é importante levar em conta algumas variáveis na hora de se planejar. Assim, segue uma lista de fatores influenciam a engorda a pasto:

Época do ano

Para o produtor que quer seguir a engorda a pasto, é importante pensar o ano em duas épocas:

  • Época das águas (primavera/verão): épocas de chuvas, ou seja, quando há maior produção de forrageiras. Nessa época há um maior desenvolvimento do rebanho uma vez que há mais oferta de alimento;

  • Época seca (outono/inverno): como o nome diz, é a época de seca, ou seja, menor índice de chuvas. Como consequência, há uma menor oferta de alimentos o que, naturalmente, afeta o ganho de peso do animal.

Assim, é importante estar atento à época do ano no momento de optar pela engorda a pasto.

Raças

Para a escolha do sistema de engorda a pasto é importante que o pecuarista tenha em mente a raça do seu rebanho. Isso porque existem diferenças de resistência às condições do pasto de raça para raça. Assim, raças mais adaptadas às condições nacionais oferecem um melhor rendimento nesse modelo de engorda

Existem situações em que técnicas de melhoramento genético podem ajudar, mas podem elevar os custos de produção.

Capacidade de suporte do pasto

Para quem usa, ou quer usar, o sistema de engorda a pasto uma mentalidade é chave: seu pasto é uma lavoura! Ele deve ser pensado como uma cultura, já que vai ser a fonte primária de alimentação do rebanho.

Assim é importante que exista um regime de reposição de nutrientes do solo. Ou seja, é importante estabelecer um regime de regas e adubação para garantir a melhor produtividade da ‘plantação’

Além disso, respeitar o crescimento da planta é fundamental. Isso garante qualidade nutricional do capim e é o que vai permitir que o rebanho atinja o peso desejado.

Suplementação mineral

A suplementação mineral do rebanho é um fator importante para quem optar por esse sistema de engorda a pasto. Isso acontece porque a pastagem não suprime toda a exigência mineral do rebanho.

Tamanho do lote

Ao se aplicar o sistema de engorda a pasto para um rebanho, é importante levar em conta o número de animais. Isso é relevante quando se leva em conta que os rebanhos bovinos possuem hierarquias muito bem estabelecidas. 

Assim, os animais abaixo da hierarquia tendem a se alimentar em piores condições. Logo quando pensamos num rebanho muito grande, o número desses animais tende a ser maior. Por isso, trabalhar com o rebanho em grupos menores permite maior regularidade entre os animais, o que mantém uma homogeneidade no peso do rebanho.

Sanidade

As condições do rebanho são definitivas nos resultados obtidos. Assim, para que o sistema de engorda a pasto tenho o resultado esperado, é preciso que exista um planejamento sanitário bem definido.

Quando iniciar a engorda a pasto?

Agora que os fatores que afetam esse sistema já foram estabelecidos, é preciso entender quando começar o sistema de engorda a pasto com o rebanho. Assim, pensando em nosso país, o início ideal para a engorda a pasto é entre os meses de setembro e outubro.

Esses meses marcam o início da primeira época das águas no Brasil. Dessa forma, os animais passarão por dois períodos de chuva na engorda e não por dois períodos de seca.

Além disso, é importante ter em mente que o ritmo de ganho de peso determina os custos de produção. Então, para que se atinja um bom custo, o ideal é que a engorda a pasto dure um período de 18 meses a 20 meses no máximo.

Um ponto que vale ser destacado, é o rodízio de pastagem. Dessa forma, é possível disponibilizar pasto de boa qualidade durante todo ano para o rebanho ao longo dos meses de terminação.

Agora que você já conheceu um pouco mais sobre esse sistema, que tal aprender como melhorar a eficiência do seu rebanho? Clique aqui e saiba como!

          

Fontes: Tecnologia no Campo e Boi e Saúde


Agroindústria

Artigos

Bovinos

Bovinos de Corte

Destaques

Frigoríficos

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2020 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.