Conheça os tipos de sistema de pastejo mais utilizados

sistema de pastejoO sistema de pastejo é usado para controlar a alimentação do animal, onde ele é utilizado pelo agricultor, pois é a forma mais clássica para esta finalidade. O produtor pode optar por dois sistemas de pastejo: o contínuo e o rotacionado. O sistema mais utilizado é o contínuo por ser um sistema que exige menor gastos para sua instalação, sendo necessária somente a instalação de cercas, de água e cocho.

O Brasil é um dos países mais privilegiados em relação aos espaços disponíveis para o pastejo de gados, clima favorável, solo e disponibilidade de forragens. No entanto, mesmo com todas as condições favoráveis, várias localidades não possuem suas condições bem aproveitadas, em virtude da baixa eficiência do manejo do pastejo.

Desta forma, equívocos na delimitação dos locais para o pastejo e no processo de consumo da forragem, assim como a sua renovação, vêm fazendo com o que o setor perca lucratividade. Por isso, é cada vez maior a necessidade de investimentos em conhecimento especializado. Como, por exemplo, o pastejo rotacionado ou de lotação contínua, capazes de criar condições para que todo esse potencial existente em terras brasileiras seja traduzido em ganhos produtivos. Continue a leitura e conheça os tipos de sistema de pastejo!

Sistema de pastejo Contínuo

No sistema contínuo os animais permanecem o ano todo na pastagem, é necessária a utilização de uma pastagem de ciclo perene. Neste sistema é recomendado usar diferentes categorias , como o bezerro , a vaca magra, o boi magro, dentre outros. Essas categorias devem ser ajustadas conforme a capacidade de produção da forragem, sendo assim, categorias mais leves em devem ser colocados numa área de menor produção ou deve fazer o ajuste de maior lotação para as categorias mais leves. 

É importante também distribuir de forma inteligente os cochos, a água e o sombreamento. Fazendo o uso da suplementação mineral ao longo de todo o ano e a suplementação protéica é feita no período da seca.

As desvantagens do sistema contínuo é que nele:

  • Há uma maior seleção dos animais que tem preferência de se alimentar das folhas e  dos colmos; 

  • As excreções dos animais são distribuídas de forma aleatória, tendo uma degradação da área desigual; 

  • Se por acaso ocorrer uma falta de controle da lotação, pode haver aumento das espécies invasoras.

Sistema de pastejo Rotacionado

O sistema de pastejo rotacionado é caracterizado pela troca periódica e frequente dos animais de um piquete para o outro, com a finalidade de fornecer um tempo de descanso para as forrageiras. Esse sistema permite ter resultados melhores, uma vez que o manejo da forragem tem um controle bem intenso, proporcionando uma maior disponibilidade de uma forragem de qualidade.

No sistema de pastejo rotacionado, as áreas são divididas em piquetes que são submetidos a períodos alternados de pastejo e descanso. Neste método de pastejo, após a ocupação de cada piquete, por um período de tempo variável de alguns dias, quando sua vegetação é desfolhada total ou parcialmente, o piquete permanece em descanso, sem a presença dos animais, para a recuperação de sua folhagem, completando o ciclo de pastejo.

Para o cálculo do número de piquetes de um sistema rotacionado deve-se levar em consideração a forragem com que está se trabalhando e a lotação do sistema. Uma fórmula para calcular o número de piquetes necessários para o pastejo rotacionado é: 

Nº de piquetes = período de descanso / períodos de pastejo + 1.

Os períodos de descanso variam de 28 - 56 dias, sendo essa uma variável ligada à espécie da forrageira. Esse sistema de pastagem também é indicado para diminuir a infestação por parasitas.

Assim, a escolha do tipo de sistema de pastejo a ser escolhido deve ser baseado na simplicidade e na vantagem das operações realizadas, e principalmente na manutenção da produtividade da pastagem. 

Portanto, sabemos que é o manejo das pastagens pelos tipos de sistema é essencial para fornecer uma forragem de qualidade para o animal. Dessa forma, é fundamental que o profissional tenha um amplo conhecimento sobre esse assunto para obter o sucesso na área. Então, clique no banner abaixo e confira dica que eu tenho pra você que quer aprender e se capacitar!

Fonte: Info Escola

 

Bovinos

Bovinos de Corte

Destaques

Irrigação

Pastagens

Pecuária

Sites relacionados
Revista Veterinária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2019 Revista Agropecuária. Todos os Direitos Reservados.